quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Contas na Corda Bamba

Eu já desconfiava. Aquela história do Basquetebol ter acabado no nosso Clube foi culpa da Federação! Malandros! Foram “os” da Federação não foram? Vieram para aqui impingir jogadores como Renteria, Tomás Costa, Valeri, Valter, Janko, etc. tivemos que pedir dinheiro emprestado ao Banco a juros altíssimos, e depois olhem: Estes “charutos” e outros que já nem me lembra o nome, após 5 anos de Contas, digamos, equilibradas, estouraram com os nossos Resultados. Nada mais, nada menos, do que 35,7 milhões de euros (negativos) só na SAD. Foi por isso o Basquetebol fechou as portas! E esta hem?
Os meus amigos devem pensar que estou a ficar maluco e perguntarão: O que tem a ver a cara com a careta? Tem tudo a ver. Na primeira parte da crónica ironizei com o triste espectáculo que constituem algumas passagens do Relatório e Contas do Clube. No Relatório da Direcção pode ler-se no último parágrafo da pág. 14 onde, depois de analisadas as actividades desportivas das modalidades que ainda subsistem, concede generosamente 3 linhas ao basquetebol

“Uma palavra final para o basquetebol, que suspendeu a actividade da sua equipa principal, centrada na Basquetebol, SAD, devido à absoluta discordância com o caminho para onde os responsáveis federativos estão a levar a modalidade.”

Hum, hum? Estão a ver? Sigam o meu raciocínio! O Clube mais a SAD apresenta um prejuízo de 46 milhões de euros num ano. E o Basquetebol que pouco custava ao Clube e praticamente nada à SAD, acabou porque um senhor meteu o dedo num sítio onde não devia, e outro prossegue maus caminhos para a modalidade! Fosga-se! Levanta-se um padeiro a estas horas para ler isto!

E não fizeram a coisa por menos. Nos Proveitos Operacionais voltaram as desculpas esfarrapadas do antigamente: falharam as transferências; a bilheteira derrapou; viemos de vela da UEFA; a publicidade foi um ar que se lhe deu. Nos Custos, a culpa foi dos Fornecimentos e Serviços Externos que dispararam, e dos Juros que subiram.

Os Activos diminuíram, os Capitais Próprios deram uma grande cambalhota, passando de positivos a negativos, e o Passivo, o maldito Passivo, aumentou 10%. Como já não bastasse a coisa estar preta, aproximam-se fortes ventos e marés. Em Dezembro temos que “inventar” 18 milhões de euros para liquidar um Empréstimo Obrigacionista. Mais à frente em Junho, nas vésperas do fecho das continhas, deixa cá ver mais 10 milhões para um irmão gémeo. O pior é que, segundo consta nos “mentideros”, outro irmão já vem a caminho, com o pretexto da “reestruturação do Passivo a longo prazo”.

Já nem falo do famoso artigo 35º ao qual não ligamos puto há anos. Sabem? Aquela história do Capital Próprio andar por menos de metade do Capital Social. Coisa sem importância. A Administração, sempre esclarecida, tem a solução. Só lhe falta escolher uma de três. 1 - Reduz o Capital Social. 2 - Vai cravar umas maçarocas aos pobres dos accionistas. 3 - Última e brilhante hipótese, aplica as duas simultaneamente!

A SAD deve trabalhar por palpite, assim uma espécie de quebra-cabeças, ou atirar a moeda ao ar. Ora veja este passatempo! O desafio é acertar com o interruptor certo.

Você está sozinho no primeiro andar e quer acender uma lâmpada que não pode ver no 3º andar. Além disso só pode subir uma vez ao 3º andar para ver se a lâmpada acendeu. Como irá saber qual o interruptor que comanda a lâmpada? Pense antes de ir ver!
Liga o primeiro interruptor por 5 minutos e desliga. Imediatamente a seguir liga o segundo e sobe ao 3º andar. Se a luz estiver apagada, mas quente, já sabe que acendeu com o primeiro interruptor. Se estiver ligada, foi com o segundo. Se a lâmpada estiver apagada e fria, então é o terceiro interruptor que comanda a lâmpada.

Voltando à vaca fria que é como quem diz, à corda bamba, vamos esperar com serenidade que o milésimo jogo do nosso presidente lhe tenha reacendido a lâmpada e consiga encontrar, de novo, o norte.

Não queria terminar sem chamar a atenção de quem se interessa pela análise das Contas, para o excelente trabalho que está a ser apresentado no Reflexão Portista.

Até à próxima

5 comentários:

Fernando Tavares disse...

Muito bem Lima
Simples para que mortal entenda essa conversa das contas e muito bem observado.Vamos ver em que ficamos lá mais para a frente!
Abç

Anónimo disse...

opah, percebam uma coisa antes de falarem sem saber... a SAD do futebol nao tem nada a ver com o basquetebol... as vezes que já se falou nisto, mas parece que custa perceber.

Rui Faria disse...

Amigo Lima,

Com estas críticas, ainda arranja maneira de um grupo dos 600 qualquer lhe retirar o direito de ser portista que, como sabe, não é atribuído a qualquer pessoa. E, além disso, consegue que não lhe seja atribuído nenhum dragão de ouro, a não ser que seja eleito presidente da comissão europeia e tenha assistido a um jogo do FC Porto. Nesse caso, poderá reservar, desde já, um lugar na prateleira para o referido prémio.

O que está em causa não é o fim do basquetebol, mas o rumo e o futuro financeiro desta SAD. Nunca vi clubes ou SAD acabarem por falta de resultados desportivos, mas já vi muitos acabarem por falta de dinheiro, a começar por esse clube histórico, The Rangers Football Club da Escócia, que detinha o maior número de troféus no mundo.

Quanto ao resto, já sabe que estou do seu lado.

JOSE LIMA disse...

Caro anónimo
Pensei que tinha interpretado o texto como uma ironia ao facto do Basquetebol que custa 5 coroas ter acabado no Clube.
Quanto ao Futebol/SAD não ter nada a ver com o Basquetebol SAD, e vice-versa, pode ver a pág. 94 e 95 do RC da SAD.
Cumprimentos

The Blue One disse...

@ Lima

Não perca o seu precioso tempo com este "anónimo". Este fulano é o tal que tinha o especial prazer de insultar a minha pessoa nos textos dedicados ao Real Madrid CF.

Esta personagem é daquelas que bloqueia com facilidade e por mais que lhe mostremos que a Terra é redonda ele vai sempre dizer que é quadrada e depois ainda o chama de burro por não "pensar" como ele.

Quanto ao seu texto, está excelente. Como já tive oportunidade de lhe dizer, este modelo de gestão já há muito que deixou de ser o melhor para o nosso Clube. Existem novos horizontes que podem e devem ser aproveitados em vez de se andar sempre nesta corda bamba onde basta as coisas correrem mal na Europa do Futebol para se andar à rasca nas Finanças.

Aquele abraço!!!