terça-feira, 24 de outubro de 2017

Numa nova competição, Dragão quer velho hábito do golo

A dominar o campeonato nacional até ao momento, o FC Porto entra numa nova competição com a moral em alta, depois da goleada diante do Paços de Ferreira. Sérgio Conceição já prometeu seriedade e respeito, até porque o rival inspira cuidados. Desde a mudança de treinador, este Leixões está diferente e...na luta pelo apuramento. Mas o Dragão está viciado no golo...
Gestão mais que previsível

Apesar do técnico do FC Porto salientar o respeito pela competição e adversário, é bem provável que a equipa azul e branca sofra algumas alterações, com uma dúvida logo na baliza. Casillas, agora suplente de José Sá, pode nem jogar, devido à presença de Vaná, guardião contratado ao Feirense.

Tal como aconteceu na Taça de Portugal, diante do Lusitano de Évora, outros jovens jogadores como Dalot, Galeno ou Jorge Fernandes podem merecer oportunidade, ainda que o jogo encerre outro tipo de dificuldades. Otávio pode regressar à titularidade, aproveitando desta forma a lesão de Tiquinho Soares e as poucas opções para alas/meio campo criativo do FC Porto.

Quanto ao adversário, chega a este jogo num bom momento. Desde a saída de Kennedy, o Leixões entrou numa onda positiva, deixou os lugares aflitivos, subiu na classificação - os homens de Matosinhos já vão na terceira posição da Segunda Liga - e até está bem dentro da luta pelo apuramento, após a vitória sobre o Paços. Do Mar vêm dificuldades, mas este Dragão quer continuar a cuspir fogo e golos.
clicar para ampliar
Retirado de zerozero

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

A Procissão Trapalhona

À frente os cavalos da GNR. A banda toca a Marcha de Benfica. O primeiro andor é o da comunicação social. De um lado os pasquineiros do Rascord, Bolha e Correio Manhoso. Do outro, o Gobern, para o andor não tombar. Todos cantam hosanas ao “excelente jogo” de Svilar e do clube da treta com o Manchester. Logo atrás o Grupo Organizado de Adeptos fardado de Soldados da Paz erguem as mãos com preces para que Jonas não saia.
 
Tocam os sinos da torre da igreja,
Há rosmaninho e alecrim pelo chão.
Na nossa aldeia que Deus a proteja!
 Vai passando a procissão. 
 
Outro andor agora da rádio e da querida RTP. Vidrinhos, Carlos Daniel, e Fernando Seara. No último degrau, Rui Santos, David Borges, e Joaquim Rita cantam loas à “instituição”. Todos com as camisolas alternativas douradas e pretas. Douradas a recordar o tempo em que havia dinheiro e pretas a lembrar o Passivo. Lançam pétalas sobre os pacóvios.
 
Olha os bombeiros, tão bem alinhados!
Que se houver fogo vai tudo num fole.
Trazem ao ombro brilhantes machados,
E os capacetes rebrilham ao sol.
 
Logo atrás o andor da arbitragem. No mastro, desfraldado ao vento, o email do imbecil do Dia Seguinte a insultar Jorge Coroado. Em baixo numa casota do VAR os sete árbitros de confiança citados por Adão Mendes que continuam a levar o clube da treta ao colo.
Olha os irmãos da nossa confraria!
Muito solenes nas opas vermelhas!
Ninguém supôs que nesta aldeia havia
Tantos bigodes e tais sobrancelhas!
 
No andor dos dirigentes. Vieira, Domingos Oliveira (o verdadeiro responsável pelo Passivo), Moniz e Rui Costa seguem na parte superior. Os restantes diretores/moços de recados passam escondidos debaixo do pálio sem se demitirem. Chalana disfarçado de guarda do balneário distribui camisolas autografadas e vouchers para a Catedral da Cerveja.
Logo a seguir o andor dos NO NAME BOYS. Treinados por Pragal Colaço, manejam armas na perfeição. Matracas, sticks de oquei, bastões de basebol, calhaus das obras, tudo serve para os caceteiros atacarem. São especialistas em lançamento de very-lights e atropelamento de rivais. A rodearem o carro os cartilheiros da TVI24 e da CMTV todos com opas vermelhas.
 
Pelas janelas, as mães e as filhas,
As colchas ricas, formando troféu.
E os lindos rostos, por trás das mantilhas,
Parecem anjos que vieram do Céu! 
 
A fechar a procissão um carro/frigorífico, género papamóvel envidraçado, transporta o futuro defesa-direito. Um paparazzi disfarçado de vendedor de gelados da Olá conseguiu fotografar o atleta que aguarda ainda a vistoria e aprovação da ASAE.
No final do desfile abrilhantado pela Banda da Casa Pia o júri atribuiu o prémio de melhor andor ao dos árbitros. A entrega do Santo António encarnado foi feita por Luís Filipe Vieira a Fontela Gomes presidente do Conselho de Arbitragem.
Com o calor, o Prior aflito.
E o povo ajoelha ao passar o andor.
Não há na aldeia nada mais bonito
Que estes passeios de Nosso Senhor! 
 
A Procissão
Letra: António Lopes Ribeiro
Intérprete: João Villaret (ambos do tempo da outra senhora) 

domingo, 22 de outubro de 2017

Matar dois coelhos de uma cajadada só (por Sérgio Conceição)

imagem retirada de zerozero
As primeiras ilações que retiro da “gorda” vitória caseira do Futebol Clube do Porto sobre o Paços de Ferreira são somente duas, mas estas são de uma importância extrema.

A primeira é que Sérgio Conceição mostrou hoje a todos (Comunicação Social, Adeptos e Plantel) que quem manda na equipa é ele e mais ninguém. Isto porque não obstante a enorme pressão que recaia sobre si, Sérgio Conceição voltou a apostar em José Sá para a baliza- De nada serviram as pressões de adeptos do FC Porto e uma Comunicação Social que “alimentou” (até tu ojogo!) uma polémica em torno de Iker Casillas que ainda hoje está por ser devidamente comprovada. Tal é algo que já não se via no Dragão desde os tempos de Paulo Fonseca, diga-se de passagem.

A segunda ilação - tão importante como a primeira – é a de que Sérgio Conceição mostrou a todos que o Futebol Clube do Porto de hoje é um grupo forte e unido. A cabal resposta que a equipa portista deu hoje à paupérrima exibição na partida da Champions League é disto elucidativo. Foi com o FC Paços Ferreira como poderia ter sido com outro qualquer. Não me venham cá com o argumento de que o Paços é um adversário ridículo pois o nosso campeonato está “carregado” destes adversários. Adversários que nas temporadas anteriores causaram sérios dissabores aos treinadores que passaram sem sucesso pelo Futebol Clube do Porto. Criticar os exageros de alguns elogios ao trabalho de Sérgio Conceição é algo que me parece, de todo, razoável. Já passar para o “bota abaixo” sem fundamento e racionalidade alguns só porque sim, é voltar aos tiques de um tempo recente que colocou o clube azul e branco na triste situação em que está há já quatro longos anos.

Passemos então ao jogo em si. Exibição de gala do Futebol Clube do Porto onde José Sá mostrou a razão da aposta séria e convicta de Sérgio Conceição no guardião português. Nada a dizer no golo sofrido que nasceu de um tremendo disparate de Héctor Herrera (lá voltamos ao mesmo…) que podia – e deveria – ter sido devidamente apaziguado pelos colegas de meio campo e defesa do mexicano.

Para além do lance do golo do Paços sou da opinião que há que rever a forma como a equipa portista lida com a pressão a meio campo por parte dos seus adversários. Das duas, uma; ou a velocidade de execução está devidamente trabalhada e cada jogador sabe para onde e como passar a bola ao companheiro, ou então vamos ver muitos golos como o de Welthon entrar na baliza de Sá e/ou Casillas. É que isto do “chutão” para a frente nem sempre resolve a questão. Hoje até que resolveu porque o Futebol Clube do Porto demonstrou uma vontade imensa de querer deixar para trás o desaire alemão, mas caso apareça outra equipa do estilo do Leipzig pela frente isto poderá acabar mal. Já não é a primeira vez que reparo neste problema, contudo parece-me que as coisas têm vindo a melhorar neste aspecto. Vamos a ver como isto evolui, se bem que tal explica (e muito!) o facto de a equipa pacense não ter deixado de causar perigo mesmo estando a perder por cinco bolas a uma. 

MVP (Most Valuable Player): Moussa Marega. Não só pelos golos que marcou mas especialmente pela entrega que mostrou. Veio atrás recuperar bolas quando teve de o fazer, assistiu os companheiros, fechou flancos e, inclusive, marcou dois golos. Um fenómeno de força que foi tão mal tratado aquando da sua primeira passagem pelo Dragão. 

Chave do Jogo: Apareceu no minuto 72´ com o golo de Vincent Aboubakar. Até esta altura era notório um certo equilíbrio não obstante o já elevado score a favor dos portistas. 

Arbitragem: Foi criterioso e manteve a coerência. Seria discutível se o jogo, a determinada altura, não aconselhava uma menor rigidez nos cartões, mas continuou com a ideia inicial e não se possa dizer que foi um defeito. Bem no golo anulado. Boa actuação. 

Positivo: Ricardo Pereira. Um dos melhores em campo. O internacional português realizou hoje aquela que terá sido – até ao momento – a melhor exibição da época. 

Negativo: Yacine Brahimi. Outra vez. Desta vez o “normal” Brahimi não apareceu não obstante o FC Porto ter defrontado um adversário mais acessível do que um RB Leipzig. 

Artigo publicado no blog o gato no telhado (21/10/2017)

sábado, 21 de outubro de 2017

O corte tapa-se com três pontos

Um FC Porto a tentar reagir da melhor forma a uma derrota, um regresso ao Dragão depois de quase um mês em campos alheios e grandes dúvidas na baliza. Estes são alguns dos ingredientes para o duelo deste sábado entre FC Porto e Paços de Ferreira, o próximo desafio do líder da Liga NOS.

A partida em Leipzig trouxe mais uma série de dúvidas no que toca à equipa a utilizar por Sérgio Conceição, começando desde logo pela primeira posição do terreno: a de guarda-redes. O treinador portista 'sentou' um histórico, Iker Casillas, e indicou de seguida tê-lo feito por mera opção técnica. Será uma opção para manter neste encontro?

Dúvidas no sistema

Outra das grandes dúvidas no que toca a esta partida é um pouco mais ampla: voltará o FC Porto ao esquema de 4x4x2 depois das incursões pelo 4x3x3 com Marega mais descaído para a direita do que o habitual? Depois de uma derrota, esta poderá ser uma altura ideal para recuperar um desenho que tem dado muito boa conta no campeonato.

Jogadores como Óliver Torres ou Corona, entretanto, surgem novamente como candidatos ao onze inicial no caso de se verificar essa mudança de sistema, com jogadores como Sérgio Oliveira ou Herrera a aparentarem ser candidatos ao regresso ao banco.

Lacunas laterais

Do lado da equipa de Vasco Seabra, que vem da desilusão da eliminação na Taça de Portugal aos pés da secundária Académica, destacam-se as lacunas na convocatória para o encontro, nomeadamente a falta de defesas laterais.

Francisco Afonso é o único lateral disponível para este encontro, face às ausências de Bruno Santos, João Góis, Filipe Ferreira e Quiñones, pelo que o técnico pacense será mesmo forçado a improvisar. Poderá assim estar nas laterais defensivas o calcanhar de Aquiles dos castores?

A ocupar de momento o 10º lugar da tabela, o Paços de Ferreira não terá dúvidas na entrega do favoritismo ao adversário, até porque as deslocações da equipa pacense não têm sido felizes: em sete viagens nesta época, apenas por uma vez a vitória veio na bagagem, logo na primeira deslocação e num jogo em Arouca a contar para a Taça da Liga. De resto, a equipa somou cinco derrotas e um empate em terrenos alheios.
clicar para ampliar
Retirado de zerozero

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Classificação das Ligas do Porto com Mística

classificação completa aqui
Treinador da Semana: Parabéns ao joao_gomes_73 (Treinador da equipa Banda de Cabreiros) que foi quem fez mais pontos na 3.ª Jornada da Fase de Grupos da UEFA Champions League
classificação completa aqui
classificação completa aquo
Treinador da Semana: Parabéns ao LordGomes36 (Treinador da equipa Draconis FC) que foi quem fez mais pontos na 3.ª Jornada da Fase de Grupos da UEFA Europa League

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Classificação das Ligas do Porto com Mística

classificação completa aqui
Treinador da Semana: Parabéns ao LordGomes36 (Treinador da equipa Draconian FC) que foi quem fez mais pontos na 8.ª Jornada de La Liga  
classificação completa aqui
Treinador da Semana: Parabéns ao Miguel Andrade (Treinador da equipa Wanderers Klub) que foi quem fez mais pontos na 8.ª Jornada da Premier League.