terça-feira, 25 de abril de 2017

Pensamento da Semana: E se fosse com o Benfica?


No dia em que se celebra a Democracia e a liberdade no nosso pequeno país, deixo aqui uma pergunta para cada um reflectir:
 
O que aconteceria se o árbitro Rui Costa tivesse tido o recente desempenho que teve na última jornada da Liga NOS num jogo do SL Benfica?

in Reflexão Portista
Bom Feriado.

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Há jogos assim (outra vez)

imagem retirada de zerozero
Este é, sem sombra de qualquer dívida, o tipo de jogo que mais me custa analisar. Isto porque á saída do Estádio do Dragão a minha ideia era a de que o Futebol Clube do Porto não jogou mal. A equipa portista fez tudo o que podia para ficar com os três pontos da vitória, mas o azar, o nervosismo, a pressão de ter de vencer e a falta de opções de um plantel (ainda) desequilibrado ditaram o enganador empate a zero bolas diante de uma equipa do Feirense que realizou o “jogo da sua vida”. O que não deixa de ser incompreensível dado que a equipa de Santa Maria da Feira já há muito que assegurou a manutenção. Para mais isto de ter jogadores formados no SL Benfica a marcar golos na sua própria baliza quando a ideia é a de se fazer o mesmo que hoje no Dragão não é para todos.

Num parágrafo resumi todo o jogo que vi in loco no Dragão, Obviamente que agora os mestres da táctica e os supra sumos do FM – vulgos treinadores de sofá/pipoqueiros - virão a terreiro exigir a cabeça de Nuno Espirito Santo (NES). Isto porque NES não tentou de tudo para vencer este Feirense. O Futebol Clube do Porto nem sequer “massacrou” por completo o CD Feirense na segunda parte. Nem sequer ficaram por marcar duas grandes penalidades a favor do FC Porto na segunda parte do jogo. Nada disto. NES é a única e exclusiva razão de todos os males do actual FC Porto.

E nem vou aqui fazer referência à “manobra” que tramou Yacine Brahimi, Nem vou voltar a “bater na mesma tecla” de que o actual plantel dos azuis e brancos é, na prática, curto em termos de opções.

Isto ainda não acabou. Bem sei que os dois próximos jogos vão ser muito complicados, mas esta equipa do FC Porto de NES já mostrou que merece ser campeã. Falta-lhe é ter aquela sorte que outros têm tido, arbitragens isentas e um grupo de dirigentes que estejam verdadeiramente interessados em justificar o elevado salário (mais extras) que auferem mensalmente.

MVP (Most Valuable Player): Danilo Pereira. O médio recuperador de bolas do Futebol Clube do Porto levou a cabo uma exibição fantástica. Excelente na recuperação de toda e qualquer bola e excelente no apoio ao jogo ofensivo dos dragões. Danilo foi, sem sombra de dúvida, o MVP desta partida.

Chave do Jogo: Inexistente- Não obstante os portistas terem feito tudo o que deveriam ter feito para vencer este jogo, por manifesta falta de sorte e de capacidade, estes não conseguiram criar um lance que fizesse com que a sorte do jogo pendesse para o seu lado. O mesmo se pode dizer do CD Feirense que ainda tentou num lance ou outro que a sorte lhe sorrisse na baliza de Iker.

Arbitragem: Na segunda parte ficou por marcar um penalti claríssimo a favor do FC Porto por empurrão a Octavio na área do Feirense. Rui Costa estava perto do lance. Mais tarde não vê um puxão claro da camisola do Marcano na área da equipa visitante. Para além disto, Rui Costa pactuou com o “anti jogo” da equipa da Feira. Péssima arbitragem com influência directa no resultado final.

Positivo: A vontade de vencer deste Futebol Clube do Porto. Só é pena que esta mesma vontade nãos e tenha manifestado em outros jogos anteriores,

Negativo: “A malta do assobio”. Não é com insultos, assobios e teorias tácticas que vão fazer com que a bola entre na baliza da equipa adversária.
 
Artigo publicado no blog o gato no telhado (23/04/2017)

domingo, 23 de abril de 2017

Não era bem assim, mas ainda dá para recuperar qualquer coisa

Não eram estas as circunstâncias que com o que o FC Porto queria entrar neste jogo com o Feirense. Todo o universo portista tinha a ideia ver o Benfica ser derrotado em Alvalade e entrar em campo este domingo com a possibilidade de ser líder do campeonato nacional. Não será assim, mas a equipa de Nuno Espírito Santo sabe que pode reduzir para apenas um ponto a desvantagem para o líder, aumentando a pressão para o final da Liga NOS.

O FC Porto não pode pensar noutro resultado que não a vitória e por isso terá de afastar alguns fantasmas recentes, como foram o jogo com o jogo com o Braga e com o V. Setúbal. Do outro lado está uma equipa tranquila na classificação e que pelo que tem jogado pode ser um osso duro de roer, ainda que nunca tenha vencido no terreno portista em toda a sua história.
 
Incógnita nos flancos
 
Olhando puramente para o jogo, sabemos que Nuno Espírito Santo terá de fazer pelo menos uma alteração. Não há Brahimi por castigo e por isso há um espaço para preeencher na esquerda. Um nome salta de imediato à vista: Otávio. O brasileiro começou bastante bem a temporada, tendo perdido depois a titularidade para Brahim. Poderá ter aqui uma nova oportunidade de se mostrar. Essa previsível opção deveria também representar a titularidade de Corona, de forma a manter a equipa com largura, mas o problema é que o mexicano se lesionou à última da hora e vai falhar a partida. Poderá assim ser Diogo Jota o homem a ser chamado a um dos flancos. Há também a possibilidade de manter André André e Óliver.
 
Com a obrigatóriadade de vencer, parece certo que NES aposte em André Silva e Soares em cunha no ataque. Será por isso, um FC Porto de ataque desde o primeiro minuto, para evitar dissabores como os que foram vividos recentemente no Estádio do Dragão.

Já o Feirense chega tranquilo ao jogo, ainda que numa série de duas derrotas seguidas. O trabalho de Nuno Manta Santos fala por si e a estratégia deve passar por ir enervando um FC Porto que não pode sequer pensar noutro resultado que não a vitória. 
clicar para ampliar

quinta-feira, 20 de abril de 2017

O Cantinho das Modalidades

Andebol

- O FC Porto reforçou a liderança do Andebol 1 ao receber e vencer o Sporting (30-28), no Dragão Caixa, em partida da terceira jornada da fase final do campeonato.

- O FC Porto venceu o Benfica, por 30-27, no clássico da 4.ª jornada da segunda e decisiva fase do Campeonato Nacional de andebol. Este triunfo portista mantém a equipa de Ricardo Costa no comando destacado do campeonato, com três pontos de avanço sobre os leões.

Basquetebol

- A equipa de basquetebol do FC Porto venceu a Oliveirense, por 84-74, na sexta jornada da segunda fase da Liga Portuguesa de Basquetebol. Esta vitória mantem os Dragões na liderança do campeonato, com dois pontos de vantagem sobre o duo perseguidor Benfica e Vitória de Guimarães.

- O FC Porto perdeu diante do Benfica (87-70), na Luz, em partida da sétima jornada da segunda fase da Liga Portuguesa de Basquetebol. Apesar do desaire, os Dragões mantêm a liderança do campeonato, agora com um ponto a mais do que os lisboetas. Seguem-se dois jogos num espaço de apenas dois dias, no pavilhão do Illiabum (21 de abril, 20h30), e frente ao Vitória de Guimarães (23 de abril, 17h45), no Dragão Caixa. Os encontros são referentes à oitava e nona jornadas, respetivamente.

Hóquei em Patins

- O Dragão Caixa continua a ser uma fortaleza para o FC Porto Fidelidade, que somou a nona vitória em outros tantos jogos realizados em casa para o campeonato. Foi selada com mais uma goleada sobre o Candelária, desta vez, por 9-2, num jogo que foi para o intervalo empatado, mas que na segunda parte ficou marcado por uma boa exibição dos portistas que arrancaram para uma vitória gorda, marcando sete golos; Gonçalo Alves assinou um poker.

Bilhar

- O FC Porto bateu o BC Porto, na Academia de Bilhar do Estádio do Dragão, por 3-1, em jogo da 11.ª jornada da zona Norte do Campeonato Nacional de bilhar às três tabelas. Foi a 37.ª vitória consecutiva na prova, o que faz dos campeões nacionais a única equipa invicta das 16 que disputam esta primeira fase da competição. Na zona Norte, os azuis e brancos têm agora 33 pontos, mais dez do que o Leça, segundo.

- O FC Porto continua intratável no Campeonato Nacional de bilhar às três tabelas, no qual somou a 38.ª vitória consecutiva. A última derrota portista, recorde-se, remonta a julho de 2015, diante do Sporting. Na 12.ª jornada da zona Norte, os Dragões bateram o Famalicense (3-1), na Academia de Bilhar do Estádio do Dragão, e seguem firmes na liderança, agora com 36 pontos, mais sete do que o Leça FC.

- O FC Porto venceu a Portuguesa de Leça, por 4-0, na 13.ª e penúltima jornada da Zona Norte do Campeonato Nacional de bilhar às três tabelas, elevando assim o recorde de triunfos consecutivos no campeonato, que agora se fixa em 39.

Ciclismo
 
- Rui Vinhas, da W52-FC Porto-Mestre da Cor, terminou em terceiro lugar a 63.ª edição da Clássica Primavera de Amorebieta, que se disputou em Espanha, num percurso de 171,5 quilómetros. O vencedor da Volta a Portugal 2016 cumpriu a distância em 4h01m49s, mais seis segundos do que o vencedor, o espanhol Gorka Izagirre (Movistar). O colombiano Wilmar Paredes (Manzana Postobon) foi segundo classificado.

quarta-feira, 19 de abril de 2017