terça-feira, 18 de dezembro de 2018

Momentos testados ao limite

Liga dos Campeões, campeonato, Taça de Portugal. O ano está a chegar ao fim e o calendário está apertado, especialmente para as equipas a jogarem nas quatro competições, como é o caso do FC Porto.

Frente a frente nos oitavos de final da prova rainha do futebol português estão duas equipas em estado de graça. Os dragões seguem numa sequência de 13 vitórias consecutivas, que está perto de se tornar histórica, o Moreirense... já fez história. A equipa de Ivo Vieira vive o seu melhor arranque de sempre na Primeira Liga.

É um desafio ao momento e à moral elevada de dragões e cónegos. Um desafio, diga-se, decisivo. É que se o ano se aproxima do fim, a final do Jamor também fica cada vez mais próxima. Os quartos estão já aí à porta...

De bebés a crescidos 

Já que estivemos a falar de momentos, importa falar do dia 2 de setembro, isto porque estas duas equipas já se encontraram, na quarta jornada do campeonato, com a equipa de Sérgio Conceição a vencer por 3x0, mas longe de realizar uma partida com elevado grau de brilhantismo. Era um dragão bebé quando comparado como o atual, mas a equipa de Ivo Vieira também estava em construção e somava apenas quatro pontos na última visita ao palco azul e branco.

O tempo passou, novas ideias foram assimiladas e as antigas, que não beneficiavam as duas equipas, foram deixadas para trás. Pela frente, vitórias. O FC Porto já não perde desde a visita ao Estádio da Luz, palco onde o Moreirense venceu por 1x3 num jogo que mostrou os pontos fortes dos cónegos aos mais desatentos. 

São, sem dúvida, duas equipas a atravessar um bom período, mas o Moreirense nunca visitou o Dragão com tanta confiança. Eliminar, na Taça de Portugal, o campeão nacional teria um forte impacto na época do Moreirense e dava ainda mais força à ideia de Ivo Vieira, que de uma equipa que jogava na expectativa do que o adversário poderia fazer passou a ser uma formação que gosta de ter bola e confiante no processo ofensivo e defensivo. Os bons momentos são testados perante os melhores adversários. E que maior adversário do que o líder do campeonato?
zerzero
CUICAR NA IMAGEM PARA AMPLIAR
Artigo publicado no site zerozero

segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

O Cantinho das Modalidades

Andebol

- O FC Porto Sofarma bateu o ADA Maia (34-27), no Pavilhão Municipal da Maia, em jogo referente à 13.ª jornada da 1.ª fase do Campeonato Nacional do Andebol 1.

- O FC Porto Sofarma bateu o Boavista (40-26), no Dragão Caixa, ainda que na condição de visitante, e está nos oitavos de final da Taça de Portugal. No dérbi portuense referente aos 16 avos de final, o colectivo portista não deu hipóteses aos axadrezados, que disputam a Segunda Divisão, e segue em frente na prova.

- O sorteio ditou que o FC Porto Sofarma vai receber o Sporting no Dragão Caixa, naquele que será o jogo grande dos oitavos de final da Taça de Portugal de andebol. Os jogos dos oitavos de final estão agendados provisoriamente para 26 de janeiro.

- O FC Porto Sofarma impôs, no Dragão Caixa, uma derrota pesada por 53-26 ao último classificado do Andebol 1, Arsenal da Devesa, em jogo antecipado da 19ª jornada.

- O FC Porto Sofarma garantiu a décima vitória consecutiva no Andebol 1, prolongando um ciclo iniciado a 2 de outubro, frente ao Arsenal da Devesa. Os Dragões não deram hipóteses ao Madeira SAD (31-20), fora de portas.

Basquetebol

- O FC Porto venceu no Pavilhão do Esgueira, por 93-82, em jogo referente à 9.ª jornada da 1.ª fase da Liga Portuguesa de Basquetebol, somando assim o segundo triunfo consecutivo na prova.

- O FC Porto recebeu e bateu o Vitória de Guimarães (94-86), no Dragão Caixa, em jogo referente à 10.ª jornada da 1.ª fase da Liga Portuguesa de Basquetebol, somando assim o terceiro triunfo consecutivo na prova.

Hóquei em Patins

- O FC Porto Fidelidade venceu o HC Braga, por 8-2, no regresso dos jogos do Campeonato Nacional ao Dragão Caixa. A equipa portista não jogava em casa, para a competição interna, desde 10 de novembro.

- O FC Porto Fidelidade atravessa um bom momento de forma e garantiu mais uma goleada, a terceira consecutiva, desta vez frente ao Marinhense (11-3). Os Dragões não deram hipóteses ao adversário no último compromisso antes da viagem para a Argentina, onde vão disputar a Taça Intercontinental.

- O FC Porto Fidelidade está na final da Taça Intercontinental depois de bater o campeão sul-americano Murialdo, por 7-5, no Estadio Aldo Cantoni, em San Juan, na Argentina. Os Dragões vão defrontar o Barcelona, que venceu o Concepción por 7-2.

- O FC Porto Fidelidade perdeu a final da Taça Intercontinental, na Argentina, frente ao FC Barcelona. Vitória da equipa catalã no prolongamento, por 5-4, num belo espetáculo de hóquei em patins. O Estádio Aldo Cantoni, em San Juan, foi o palco da terceira final entre as duas equipas desde 13 de Maio. Uma vez mais, foi o Barcelona a festejar, tal como havia sucedido na Liga Europeia e na Taça Continental.

Bilhar

- Dick Jaspers garantiu o triunfo na etapa do Egito da Taça do Mundo de bilhar às três tabelas. Na final do torneio, o holandês venceu Frédéric Caudron, destronando o atleta do Sporting para assumir a liderança no ranking mundial.

Boxe

- A equipa de boxe do FC Porto conquistou seis medalhas no Odivelas Box Cup, considerado o melhor torneio a nível nacional e o quarto melhor da Europa. A prova realizou-se entre 14 e 16 de dezembro no Pavilhão Multiusos de Odivelas, com a presença de mais de 300 atletas provenientes de 20 países.

Os Dragões chegaram ao ouro nas categorias Male Senior, com Márcio Cardoso (-56Kg), Female Elite com Nancy Moreira (-64kg) e Female Senior com Eva Branco (-69Kg). Destaque ainda para a medalha de prata de Tiago Martins (-54Kg) na categoria Male Junior e para as medalhas de bronze para Pedro Ribeiro (-64Kg) e Milton Jeremias (-60Kg) na categoria Male Elite.

Ciclismo

- A União Ciclista Internacional (UCI) anunciou que a W52-FC Porto vai competir em 2019 com o estatuto de Equipa Continental Profissional.

A W52-FC Porto, vencedora das três últimas edições da Volta a Portugal, surge desta forma no segundo escalão do ciclismo mundial.

Desporto Adaptado 
 
- O FC Porto conquistou um total de 94 medalhas no Campeonatos Regionais de inverno de natação adaptada, que se realizaram na Piscina Municipal Rota dos Móveis, em Paredes. Das 94 medalhas conquistadas, 35 foram obtidas na categoria de Absolutos (25 de ouro, sete de prata e três de bronze) e 59 por classes (35 de ouro, 18 de prata e seis de bronze).

domingo, 16 de dezembro de 2018

O 13 até que deu sorte

imagem retirada de zerozero
A primeira coisa que me apetece dizer sobre este jogo nos Açores é questionar-me se efectivamente Ricardo Pereira faz assim tanta falta ao actual plantel azul e branco, tal a insistência de Sérgio Conceição em acabar - mesmo que aos poucos – com o bom jogador que é Jesús Corona. É verdade que ter o internacional mexicano a dar uma de “ala” (a mania que Freitas Lobo tem de complicar o que é simples!) dá uma vertente mais ofensiva a este Futebol Clube do Porto, mas ao mesmo tempo cria um tremendo “buracão” na linha defensiva azul e branca. “Buracão” esse que tem de ser compensado por Felipe… O CD Santa Clara não soube hoje aproveitar este factor dado que não foi por este flanco que procurou explanar o seu gutebiol ofensivo - talvez por o não conseguir ou não ter arte e engenho para tal -, mas um dia esta brincadeira vai acabar mal e depois venham-me com a ladainha habitual do anti jogo e das arbitragens.

Quanto ao jogo em si, confesso que gostei muito mais do resultado. Continuo algo apreensivo com a forma como este FC Porto de Sèrgio Conceição joga diante de equipas de média/baixa qualidade que se organizam muito bem. Para colocar esta equipa portista em xeque uma tremenda série de vezes durante os 90 e poucos minutos, os comandados de João Henriques apenas tinham de “tapar” toda e qualquer linha de passe a um meio campo portista que está, claramente, em baixo de forma. Depois bastou-lhe aproveitar os disparates defensivos que a linha defensiva do Dragão insiste em dar. O golo da equipa açoriana é disto um bom exemplo. Alex Telles é facilmente batido, Brahimi não fecha o seu flanco e os centrais portitas estão “a nanar” a ver o atleta da equipa adversária a marcar. Um lance muito parecido com o primeiro golo do Galatasaray na partida da Champions da passada terça. Um lance que já deveria ter sido devidamente estudado para que asneiras como estas não se repitam.

Mas Conceição não tem culpa de tudo. Se no aspecto anterior a culpa é toda do teimoso treinador do FC Porto que insiste no erro até a coisa correr mal, já a tremenda baixa de produtividade do meio campo não é culpa sua. E muito menos é culpa sua a evidente falta de opções dado que para o lugar de um Óliver a passar por uma má fase só existe um Otávio a passar por uma má fase. Hoje tal ficou bem patente quando Sérgio Conceição apostou em Otávio depois de – mais - um jogo muito fraquinho da parte do internacional espanhol. Aproxima-se o mercado de inverno e creio que estará aí uma boa oportunidade para que os Dragões tentem colmatar esta “malapata”. Sérgio Oliveira é um jogador bastante satisfatório e versátil em termos posicionais, mas não tem a capacidade de organização/passe de Óliver nem a técnica/velocidade de Otávio. E quanto a Herrera, bem está o moço a “destruir” jogo ao lado de Danilo Pereira!

Tudo isto para se chegar a uma simples conclusão sobre o CD Santa Clara 1 x FC Porto 2. Não fosse Tiquinho Soares o incansável guerreiro que é e Iker Casillas um Guarda-redes de top em excelente forma, e o Dragão não passaria neste duro teste açoriano.

Mas é claro que ninguém quer saber disto até porque enquanto se estiver a vencer, está tudo bem. O problema é que a pausa para as rabanadas costuma fazer mal ao Dragão. A ver vamos se esta época é uma execpção à regra.

MVP (Most Valuable Player): Tiquinho Soares. O inconformado de sempre que não desiste de lutar até ao fim por toda e qualquer bola. Atacou e ajudou a equipa a defender quando esta mais precisou. Marcou um golo e poderia ter marcado mais.

Chave do Jogo: Inexistente. Em momento algum alguma das equipas em campo foi capaz de criar um lance que fizesse com que a vitória pendesse, em definitivo, para o seu lado.

Arbitragem: Luís Godinho teve um lance complicado por volta dos 20 minutos. Herrera parece sofrer grande penalidade, mas antes há uma falta de Brahimi bem assinalada com recurso ao VAR. Ficam algumas dúvidas no lance do segundo golo portista por uma eventual falta de Soares sobre Patrick, mas aceita-se a decisão. Análise e opinião de Igor Gonçalves (jornalista do site zerozero)

Positivo: Iker Casillas, O “monstro” que ajudou a equipa portista sair dos Açores com os três pontos. Exibição fantástica de «San Iker», Especialmente na segunda parte.

Negativo: Disparates defensivos. O golo do Santa Clara é uma “fotocópia mal tirada” do sofrido na Tirquia. Equipa que ser ser campeã não pode errar da mesma forma em dois jogos distintos.

Artigo publicado no blog o gato no telhado (15/12/2018)

sábado, 15 de dezembro de 2018

«Batalha» atlântica para defender a série

13. É este o número que o FC Porto quer trazer dos Açores, curiosamente na 13ª jornada da Liga NOS. Não precisamos de explicar muito que o 13 é o número de vitórias seguidas que Sérgio Conceição e companhia querem trazer do jogo deste sábado, contra o Santa Clara.

Por seu lado, a equipa orientada por João Henriques aparece neste jogo a tentar confirmar a saída de uma ligeira crise, voltando a ganhar o estatuto de equipa sensação da prova. Os acorianos voltaram aos triunfos na jornada passada, depois de de quatro derrotas seguidas, e estão exatamente no meio da tabela classificativa.

A última vez que as duas equipas se defrontaram foi há 15 anos, em 2003, ainda José Mourinho conduzia dos destinos dos portistas rumo à conquista da Taça UEFA. Uma década e meia foi o que o Santa Clara precisou para regressar, mas agora parece tê-lo feito em força e pronto para dificultar a vida ao campeão nacional.

A eterna dúvida dos avançados

Sérgio Conceição está a habituar-nos à incerteza. A riqueza tática da sua equipa tem permitido alternar entre o sistema de dois ou um avançado e nunca sabemos se Marega joga sozinho, ou com Soares. Parece que apenas o maliano é essencial e vai mostrando o porquê de o ser.

Pelo que tem sido mais recorrente, a aposta deve ser no sistema de um avançado, com Corona a voltar a jogar na posição de defesa direito e Otávio na posição de falso extremo.

Do lado do Santa Clara não se esperam grandes mexidas. O 11 deverá ser o mesmo que venceu o Moreirense, no passado fim de semana.

É o regresso do FC Porto aos Açores numa das melhores fases das últimas dos últimos 10/15 anos. A confiança está no alto, mas no meio do oceano há um Santa Clara capaz do melhor e do pior e capaz de terminar com a série histórica azul e branca.
CLICAR PARA AMPLIAR
Texto retirado do zerozero.pt

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Classificação das Ligas do Porto com Mística

classificação completa aqui
Treinador da Semana: Parabéns ao mikeblue (Treinador da equipa Alverca Crazy Team) que foi quem fez mais pontos na 12.ª jornada da Liga NOS
classificação completa aqui
Treinador da Semana: Parabéns ao RULY (Treinador da equipa RULY ALL CRACK) que foi quem fez mais pontos na 15.ª jornada da La Liga Santander
classificação completa aqui
Treinador da Semana: Parabéns ao RULY (Treinador da equipa RULY ALL GOAL) que foi quem fez mais pontos na 15.ª jornada da Serie A TIM
classificação completa aqui
Treinador da Semana: Parabéns ao José Filipe Pereira (Treinador da equipa FC Porto) e ao Paulo Ferreira (Treinador da equipa FCP1893) que foram quem mais pontos fizeram na 15.ª Jornada da Premier League

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

A moral e – muita, muita – sorte

ungem retirada de zerozero
Hoje é dia de festa no Dragão. Primeiro lugar na Fase de Grupos da Champions, 0 derrotas e um empate e um recorde pontual igualado. Nada mau se bem que podemos, e devemos, dizer que o Futebol Clube do Porto não fez mais do que a sua obrigação num grupo onde o equilíbrio em termos de qualidade foi – quase sempre – a nota dominante. Contudo esta deslocação à Turquia fez soar alguns alarmes”. Especialmente se tivermos em linha de conta que o Galatasaray SK é uma equipa mediana (muito mediana) que só não venceu hoje por manifesta falta de sorte. E também porque do outro lado do campo esteve um FC Porto altamente moralizado.

Convenhamos, tenho de ser curto e directo. Felicito Sérgio Conceição (e a equipa) quando este está bem, na minha opinião, no jogo sobre o qual opino, mas não posso, de forma alguma, “embarcar” na actual onda de euforia que parece ter toldado certas mentes portistas. Não estivesse o Futebol Clube do Porto num momento de forma execpecional e com a moral nos píncaros, e tenho sérias dúvidas de que este teria regressado das terras de Recep Tayyip Erdoğan com os três pontos e um recorde igualado.

A juntar ao exposto no parágrafo anterior há que dizer que o Galatasaray de Fatih Terim teve um azar tremendo na hora de rematar à baliza. Aliás, se quiser ser mesmo sincero (por muito que me custe) tenho de dizer que os Dragões não mereceram, de todo, vencer hoje. Nem empatar mereciam! A equipa da casa foi - de longe – a melhor equipa em campo. O meio campo turco “engolia” sempre o meio campo português. Não fosse a eficácia, a moral em alta e uma sorte tremenda e, repito, isto teria corrido muito mal.

Espero que Sérgio Conceição tenha retirado muitas ilações desta partida. Especialmente sabendo que daqui para a frente irá ter de enfrentar equipas de maior qualidade que pressionam como este Galatasaray. E não, o facto de este ter sido obrigado a mudar algumas das suas habituais “peças” não justifica metade do que aconteceu hoje em campo. Até porque se assim fosse, esse teria intervindo muito mais cedo no onze. Especialmente quando todos percebíamos que o FC Porto já não podia mais com a tremenda avalanche ofensiva da equipa da capital turca.

MVP (Most Valuable Player): Moussa Marega. Efectivamente o internacional maliano é “aquela máquina” na UEFA Champions League. Hoje Marega foi uma “locomotiva” que colocou, quase sempre, em “xeque” a linha defensiva da equipa da casa. Um golo e uma assistência são um parco pecúlio para tão excelente exibição.

Chave do Jogo: “67´Sofiane Féghouli (Galatasaray) falha a grande penalidade! Atira à barra!”. E deita por terra toda e qualquer vontade do Galatasaray SK lutar pelo resultado final. Após tal Sérgio Conceição “acordou de vez” para o jogo e fez as alterações tácticas de que a equipa precisava para trazer os três pontos para a Invicta. Como tal penso ser manifestamente impossível não se classificar este lance como a “chave do jogo” que ditou – em definitivo - a vitória portista.

Arbitragem: Jogo fica marcado por uma decisão logos nos minutos iniciais. É marcado um fora de jogo num lance que daria grande penalidade e provável expulsão para Diogo Leite. A interpretação deixa muitas dúvidas. Depois não existe falta sobre Hernâni e parece estar em fora de jogo Garry Rodrigues no lance da grande penalidade do Galatasaray. Análise e opinião de Igor Gonçalves (jornalista do site zerozero)

Positivo: Vitórias que moralizam. São vitórias em jogos como este que fazem equipas campeãs. Quando as coisas não correm bem mas a equipa luta até ao fim, acredita em si e vence é algo que tem de ser visto como positivo.

Negativo: Diogo Leite. Se calhar sou eu qu estou a ficar mal habituado dadas as boas exibições de Militão, mas hoje Diogo Leite esteve mal. Muito mal em todos os aspectso do jogo. Que tanha sido somente um dia mau do jovem central. 
 
Artigo publicado no blog o gato no telhado (11/12/2018)