domingo, 29 de novembro de 2015

Dragão horribilis vence mas não convence

Mau jogo, bom resultado para o FC Porto em Aveiro. Contra um Tondela a mostrar bem mais do que o último lugar diz, a equipa de Lopetegui acabou a sofrer e valeu a inspiração de Iker (depois do erro contra o Dynamo) a segurar o que tinha sido construído com a magia de Brahimi. Lopetegui foi expulso, mas os Dragões seguem na perseguição ao Sporting.
 
Foi uma vitória sem brilho do FC Porto, num jogo longe de ter sido brilhante e no qual os Dragões não tiveram grande descanso muito porque o Tondela se apresentou numa postura bastante interessante.
 
E começamos por aí. Por um Tondela arrumado num sistema contido, claro, mas desperto para qualquer situação. Uma delas, a da posse, também fez parte do cardápio, pois os homens de Rui Bento, ao contrário do que é hábito das equipas menos poderosas frente aos grandes, não tiveram qualquer receio de a ter no pé.
 
Com linhas a variar entre o baixo e o intermédio, o conjunto Beirão, outra vez em casa emprestada, foi audaz e atrevido, o que, só por isso, merece nota de destaque. Só que, à audácia, o FC Porto, que pareceu algo perdido na ideia de jogo, respondeu com a inspiração individual. Brahimi, num lance mágico, encontrou a gaveta da vantagem.
 
O segundo tempo foi, para o adepto Tondelense, de esperança contínua e, para o adepto Portista, desesperante. Num lento arrastar de jogo, a equipa de Lopetegui, que já não estava no banco por ter sido expulso, foi sempre dando a ideia de jogo controlado.
 
Só que Rui Bento, que operou três substituições de uma vez só, não se fiou no desequilíbrio de nomes e ordenou à equipa uma intenção clara de procurar os pontos. Os Portistas perceberam isso e, do banco, veio Maicon para dar mais músculo.
 
Uma decisão que motivou assobios dos adeptos e que quase corria mal. O Brasileiro fez grande penalidade e Chamorro teve nos pés um lance que podia ser de história para o Tondela, mas acabou de ser simplesmente mais uma página para o longo livro de sucessos de Casillas, a segurar a vantagem.
 
O FC Porto aguentou, segurou e ganhou, mas não se livrou de críticas vindas da bancada e de cânticos a entoar «palhaços, joguem à bola». Um sinal claro de que nem tudo está bem no Reino do Dragão e, sobretudo, que a exigência que vive na veia Portista é muito maior do que um simples 0 x 1 e 3 pontos. É preciso mais.
 
Retirado de zerozero
 
Melhor em Campo: Iker Casillas

8 comentários:

Anónimo disse...

Até quando se irá aguentar esta vergonha. Agora o odioso do miserabilismo passará para os jogadores e não sei onde irá parar.
Acabem com isto urgentemente.

Anónimo disse...

A prepotência, demência e incompetência prospera na pessoa do Sr Lopetegui. Agora mais do que nunca, tenho a absoluta certeza que não só o FCP não ganhara nada, como lutara pelo 3 ou 4 lugar do campeonato.
Se depende-se de mim, este caricatura de treinador já estava demitido e por justa causa.
A SAD, do MEU, do TEU, do NOSSO FUTEBOL CLUBE PORTO e os comentadores do Porto Canal nada dirão ou farão, pois estamos no bom caminho, para o desastre claro.

Luís (O de qualquer treinador serve menos este)

Anónimo disse...

O Professor Luís Castro deve assumir já as funções de treinador do FCPORTO.

Luís (O de qualquer treinador serve menos este)

Felisberto Costa disse...

Será que Pinto da Costa vai dizer que os adeptos não percebem nada de futebol?
Será que Pinto da Costa desde a inuaguração do Museu, vive mais preocupado (entenda-se por encantado) com o Museu que qualquer dia lá fica de vez?
Será que o 13º mandato de Pinto da Costa está a ser de azar, ou por azar temos um Pinto da Costa a machar todo um belo trabalho de 30 anos que todos e qualquer portista se orgulha?

Na minha modesta opinião o problema não vem de agora. E sem querer dar a mão á palmatória de um certo presidente boçal, neste FC PORTO há coisa que nos DOYEN imenso...

Anónimo disse...


Música dedicada ao fabuloso Sr Lopetegui.

Circo De Feras

A vida vai torta
Jamais se endireita
O azar persegue
Esconde-se à espreita

Nunca dei um passo
Que fosse o correcto
Eu nunca fiz nada
Que batesse certo


Luís (O de qualquer treinador serve menos este)

Anónimo disse...

Quero aproveitar para prestar homenagem a este site que é dos poucos que não censura as minhas opiniões.

Luís (O de qualquer treinador serve menos este)

Luís Miguel disse...


O melhor em campo foi André André.

Pedro Silva disse...

@ Luís

São opiniões. Estive para colocar O André André como melhor em campo mas optei pelo Casillas porque este esteve lá quando foi preciso.