quarta-feira, 16 de agosto de 2017

O Cantinho das Modalidades

Andebol

- O FC Porto venceu o Torneio Internacional de Estarreja, depois de bater os noruegueses do Halden HK, por 25-20, na final da prova que teve como palco o Pavilhão Municipal de Estarreja. Daymaro Salina e Dariel Hernandez, ambos com seis golos, foram os melhores marcadores portistas.

Nas meias-finais, naquele que foi o primeiro teste de pré-temporada para a equipa comandada por Lars Walther, os azuis e brancos levaram a melhor sobre os japoneses dos Brave Kings (34-24).

- O FC Porto venceu o Torneio Internacional de Gaia, depois de bater os noruegueses do Halden HK, por 37-19, no Pavilhão Municipal de Gaia. Leandro Semedo (7 golos) e Nikola Spelic (6 golos) foram os melhores marcadores portistas neste encontro.

No primeiro jogo do torneio, os azuis e brancos levaram a melhor sobre os japoneses dos Brave Kings (26-21).

Basquetebol

- Os norte-americanos Will Hanley, Marcus Gilbert e Will Sheehey vão reforçar o plantel de basquetebol do FC Porto em 2017/18, tendo assinado um contrato com o clube válido por uma temporada.

Hanley tem 27 anos e ocupará a posição 4, sendo capaz de atuar como poste e extremo. Destaca-se pela capacidade de ressalto e intensidade de jogo e traz uma vasta experiência no basquetebol europeu: depois de se ter revelado na LEB Prata, competição na qual assinou médias de 17,7 pontos e 11,2 ressaltos, atuou na ACB, a principal liga espanhola, nas últimas cinco épocas, sendo que na última se sagrou campeão europeu da Basketball Champions League ao serviço do Iberostar Tenerife.

Gilbert, de 24 anos, será um dos extremos dos Dragões, podendo desempenhar com facilidade as posições 2 e 3. Vem da sua primeira experiência internacional, na sempre competitiva liga A2, de Itália, na qual representou duas equipas em 2016/17, destacando-se por ser um jogador que marca muitos pontos (médias de 15 por jogo) e pelas grandes percentagens de lançamento, essencialmente desde a linha de três (43%).

Sheehey, de 25 anos, é um extremo capaz de atuar nas duas posições exteriores, 2 e 3, mas também, caso seja necessário, na posição 4, dado o seu conhecimento do jogo e potencial físico. Já foi capitão de equipa na Universidade de Indiana, uma das mais conceituadas do basquetebol norte-americano, tendo sido na temporada passada campeão nacional da D-League com os Raptors 905, equipa afiliada aos Toronto Raptors, da NBA.

Ciclismo

- A 79.ª edição da Volta a Portugal terminou, com Raúl Alarcón a garantir a vitória individual e o W52-FC Porto-Mestre da Cor a coletiva, o que reforça a liderança portista no histórico da prova. Este foi o 14.º triunfo de um ciclista azul e branco na geral individual (à frente de Sporting e Benfica, com nove) e também o 14.º em termos coletivos (logo atrás vem o Sporting, com 12).

O primeiro triunfo data de 1948, por Fernando Moreira, e depois Dias dos Santos foi primeiro em duas edições consecutivas (1949 e 1950), sendo o único portista a bisar. Seguiram-se vitórias de Moreira de Sá (1952), Carlos Carvalho (1959), Sousa Cardoso (1960), Mário Silva (1961), José Pacheco (1962), Joaquim Leão (1964), Joaquim Sousa Santos (1979), Manuel Zeferino (1981) e a Marco Chagas (1982). Nesta era moderna, em associação com a W52, os azuis e brancos regressaram ao lugar mais alto do pódio 34 anos depois, com Rui Vinhas.

O domínio azul e branco tem sido exercido por blocos: além do tri, entre 1948 e 1950, houve um tetra, entre 1959 e 1962. E entre 1979 e 1982 garantiram-se quatro camisolas amarelas. Será o domínio exercido nos últimos dois anos transformado em mais um destes reinados?

Em termos coletivos, o primeiro lugar da geral foi atingido em 1948, 1949, 1950, 1952, 1955, 1958, 1959, 1964, 1969, 1979, 1980, 1981, 2016 e,agora, em 2017. Ou seja, por quatro vezes os títulos individual e coletivo não coincidiram, se bem que seja impossível um corredor ser líder sem o apoio dos colegas. Em 1960, 1961, 1962 e 1982, Sousa Cardoso, Mário Silva, José Pacheco e Marco Chagas, respetivamente, venceram sem que a equipa o fizesse coletivamente. E em 1955, 1958, 1969 e 1980, a vitória coletiva não correspondeu à camisola amarela no fim da volta.

O espanhol Raúl Alarcón é o primeiro corredor estrangeiro do FC Porto a triunfar na Volta, sendo que, até agora, para além de portugueses, todos tinham nascido a norte de Santa Maria da Feira, com a exceção de Marco Chagas. Alarcón é natural de Alicante, no sul de Espanha, e sucede a protagonistas de conquistas épicas como Dias dos Santos (o tal que um dia disse “Limpámos o sarampo à gajada de Lisboa”), Mário Silva (apesar da intoxicação alimentar que prejudicou os azuis e brancos em 1961) e Manuel Zeferino (cuja fuga na primeira etapa, em 1981, lhe garantiu logo um avanço de 12 minutos e 28 segundos).

Desporto Adaptado

- Carla Oliveira e Pedro da Clara, atletas de boccia do FC Porto da classe BC4, ajudaram Portugal a conquistar a medalha de bronze no BISFed 2017 Sevilha World Open, em Espanha, juntamente com o colega de seleção Manuel Cruz.

Na fase de grupos, a equipa portuguesa começou por perder frente à Inglaterra (3-4), mas depois registou três vitórias consecutivas por 9-0, frente a Eslováquia, Alemanha e Grécia. Nas meias-finais, Portugal perdeu diante da Tailândia, mas superiorizou-se à Inglaterra (7-1) no jogo de atribuição do terceiro e quarto lugares.

Natação
 
- O nadador master do FC Porto, Mário Carvalho, conquistou a medalha de ouro nos 200 metros costas no Campeonato do Mundo, a decorrer em Budapeste, capital da Hungria. O antigo olímpico portista (Sydney 2000), nascido em 1978, sagrou-se campeão do mundo da distância e do escalão 35/39 anos, com o registo de 2.16,11 minutos, batendo o suíço Julien Baillod e o holandês Dennis Brouwers, que completaram o pódio.

Organizada pela Federação Internacional de Natação (FINA), a competição decorre até 20 de agosto e conta com cerca de 12 mil nadadores, em representação dos respetivos clubes e países, entre os quais se contam ainda os portistas Mário Barros (escalão 60-64), Carla Bárbara (40-44) e Keissy Sousa (30-34).

Sem comentários: