segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Guardiola no Bayern, como será?

Pep Guardiola vai treinar o Bayern Munique na próxima época. 

A contratação de Pep Guardiola pelo Bayern Munique, ou talvez de outra forma, o aceitar de Guardiola do projecto do clube bávaro, terá certamente surpreendido alguns adeptos do futebol.
 
Com clubes financeiramente mais poderosos interessados em si e com o afirmar claro do seu amor pelo futebol em Inglaterra, rejeitar as alegadas propostas do Manchester City e Chelsea parece ser uma decisão estranha do ex-Barcelona.
 
Mas talvez não seja tanto assim. Guardiola terá optado, a meu ver, por um clube claramente bem organizado e preparado para vencer. Alguns dizem mesmo que muito em breve, ou até já neste momento, o segundo mais bem organizado e poderoso na Europa, logo depois do Barcelona.
 
O Bayern, ao contrário dos frívolos Chelsea e Manchester City, é uma máquina bem oleada, muito organizado e com uma liderança de ferro. Franz Beckenbauer, Uli Höness e Karl-Heinz Rummeniggen são não só lendas do futebol, mas também dirigentes astutos e profundos conhecedores daquilo que é necessário para vencer.
 
Tal como todos os clubes o Bayern passou por um período de menor visibilidade, mas esta época já se nota novamente o poder da máquina bávara, com nove pontos de vantagem na liderança da Bundesliga e com os bicampeões em título, Borussia Dortmund, já consternados a que esta época o campeão será outro.
 
A equipa do Bayern é também uma das mais jovens e promissoras da Europa, após um investimento de cerca de 70 milhões de euros no verão passado e com a promessa de mais um ou dois reforços de peso no próximo.
 
Uma das últimas razões apontadas à escolha de Guardiola por pessoas ligadas ao meio, prende-se com a tentativa de "fugir" a José Mourinho. Juntando-se a uma Liga que não parece estar no futuro do português e na qual ele não deixou a sua marca. Ao contrário do que aconteceria se Guardiola fosse para Inglaterra.
 
Contudo, José Mourinho continuará a ser o ponto de comparação para o espanhol e o maior desafio de Guardiola será imitar o sucesso de Mourinho.
 
Depois de vencer 14 títulos em 19 possíveis com o Barcelona, todos esperam pelo menos mais um triunfo na Liga dos Campeões e um domínio na Bundesliga. Há muito quem diga que vencer no Barcelona é fácil e que agora se verá se Guardiola tem ou não estaleca para ser reconhecido como um dos melhores treinadores do Mundo.
 
Mourinho já o é pelo sucesso que já teve em quatro Ligas diferentes, mas Guardiola só o fez em Espanha com uma equipa sensacional. Há contudo que lhe dar mérito, pois antes da sua chegada ao comando técnico da equipa principal, mais em concreto na época de 2007/08, o colosso catalão era uma equipa recheada de egos exacerbados e a viver da glória do passado.
 
Guardiola é sem dúvida um grande treinador e terá feito uma escolha segura para o seu futuro, mas ainda assim se irá ver até que ponto ele consegue singrar num clube que ele não conhece por dentro e por fora há anos e anos, como aconteceu no Barcelona.
 
Para mim esse será sem dúvida um dos grandes pontos de interesse da época de 2013/14.

1 comentário:

The Blue One disse...

Já escrevi sobre isto no Mística e para mim a equação é simples:

- Se Guardiola tentar fazer no Bayern aquilo que fez no Barcelona então a sua passagem pela Alemanha vai ser um tremendo barrete. Isto porque em Munique este não terá a tal "combinação afortunada" que teve na Catalunha dado que não jogou com alguns dos actuais Jogadores do Bayern e muito menos treinou os Jogadores das camadas jovens da Equipa Germânica. E na Alemanha o Pep não terá um Messi para o ajudar nos momentos mais complicados;

- Se o Espanhol optar por se adaptar ao seu novo Clube e tentar trabalhar com o que tem dando continuidade à reconquista que o Bayern tem levado a cabo esta temporada, então acredito que Guardiola vai ter sucesso se bem que não estou muito crente nesta possibilidade.

Relativamente à escolha de Guardiola pelo Futebol Alemão, penso que foi uma decisão sensata. Para um treinador que ganhou tanto à custa de um Plantel fora de série, é preferível "regressar devagar" numa Liga pouco mediática do que entrar à pressa numa Liga super mediática como a Inglesa. Assim se a coisa der para o torto o Guardiola ficará "pouco queimado”.