quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Obrigações, o Banco Mau, e a Formação

Com esta trapalhada que aconteceu no BES alguns habituais leitores destas crónicas colocaram-me a questão sobre o que poderá acontecer com o Empréstimo Obrigacionista 2013/2016 do clube da treta cujas Obrigações se vencem em 29 de Abril de 2016.

A resposta é simples. Em princípio não acontecerá nada. O valor das Obrigações que tiverem sido adquiridas pelos Investidores, acrescido dos respetivos juros, aparecerá nas suas contas bancárias nesse dia. Compreende-se a preocupação dos tomadores das Obrigações, mas podem estar descansados. Habitual fornecedor de dinheiro fresco à “instituição” este Banco juntamente com mais meia dúzia só funcionaram enquanto “balcões de atendimento”. Não é este sindicato bancário que vai “devolver” o valor investido na data prevista para o seu resgate. Esse cumprimento é devido apenas ao Sport Lisboa e Benfica, Sad, entidade promotora da oferta.
O que pode afetar a SAD da “instituição” é ter necessidade de lançar um novo empréstimo, em papel comercial ou outro, para cobrir o que se vence, como faz habitualmente nas vésperas dos vencimentos dos sucessivos Empréstimos. É sempre assim há 10 anos, tantos quantos o senhor Vieira levou a multiplicar o Passivo por cinco. Como não poderá recorrer ao BES MAU terá que ir cravar a outro lado. No BES BOM também pode tirar o cavalinho da chuva que essa teta já secou. Por isso a pressa em despachar ao desbarato os jogadores mais valiosos do plantel, a que não será estranha a “visita” há pouco tempo de um representante da UEFA. É que cinco anos de prejuízos consecutivos, são muitos prejuízos e vem aí o Fairplay Financeiro.

Vieira não parece muito preocupado. Afinal aposta mais em fazer as coisas pelo outro lado. Já na época passada resultou apoiar Fernando Gomes para a FPF visto que trouxe dependurado o Vítor Pereira mais os seus cãezinhos amestrados. Desta vez começou mais cedo ao nomearem o sócio benfiquista Duarte Gomes, para a final da Taça onde joga o seu clube. Pois claro!

Quanto às vendas em saldo, desta vez parece que vai tudo a eito. Guarda-redes, defesas, médios e avançados, bons, maus, e assim-assim, pérolas da formação incluídos, casos de Bernardo Silva, João Cancelo, Ivan Cavaleiro todos endeusados nas páginas na BOLHA o órgão oficial há vários anos do clube da treta. O defesa-esquerdo continua congelado. O catedrático em 4 anos ainda não conseguiu arranjar um caceteiro como Maxi ou Coentrão.
Enquanto uns vendem… outros compram. Cá por cima também não estamos imunes às falhas de Tesouraria, pese embora a importação massiva de Espanhóis. Contudo algumas saídas que se anunciam em surdina deixam-me estupefato. O nosso clube (leia-se SAD) às vezes parece adormecido. Gostava que me respondessem a duas perguntas muito concretas. Primeira: Para que raio serve a formação? Bem sabemos que formar umas dezenas de jogadores e conseguir aproveitar 1 ou 2 não é exatamente a mesma coisa que trabalhar numa fábrica de enchidos. Mas com mil diabos, nem sequer aproveitamos 1 deles ano-após-ano? Segunda: Como está o protocolo com o Porto Canal? Vai para a frente, acaba, fica na mesma, ou assumimos a efetiva direção do Canal? Como está nem é carne nem peixe.

Até à próxima

1 comentário:

Miguel Lima disse...



@ sr José Lima

acerca da agremiação de Carnide, vulgo "a Instituição" (como o sr. tanto gosta de referir), não me pronuncio; já temos problemas suficientes nas nossas quatro paredes. mas e como também o escreve, não deixo de ler o que se vai aventando no pasquim editado pelo "shôr" serpa com um sorriso esgado e irónico. fosse o FCP e outras "pérolas literárias" já teriam visto a luz do dia...

a propósito das suas duas pertinentes perguntas:
1)
a formação azul-e-branca já vai dando alguns (tímidos) sinais de vida. excepção para Ruben Neves, há o exemplo dos seleccionáveis que estiveram na Hungria e que tão boa conta deram de si. e, por muito que doa a alguns e façam passar a mensagem contrária, do onze-base, cinco jogadores são formados no FC Porto.
depois, ainda temos a nossa equipa B, que acredito que irá dar frutos. e dos bons. temos que ter a consciência de que, no Presente, a Champions é o caminho pelo que não há espaço para experiências. assim sendo, quem chegar aos AA, terá que "pegar de estaca". e não há lugar para testes, como aconteceu com o Tozé, numa estreia singular e irrepetível - assobiado ao segundo remate menos conseguido (momento que não esquecerei).

2)
o Porto Canal" é 'algo' que nasceu torto e que, na minha opinião, dificilmente se endireitará. quando o jornalista de serviço, em directo, torce o nariz e mostra ar de desagrado e de enfado com as críticas de Bernardino Barros, cortando o seu raciocínio e passando abruptamente para o tema seguinte, está tudo dito...

ps:
peço desculpa pelo post dentro do post.

abr@ço
Miguel | Tomo II