quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Chamem os Chineses

Perante o descalabro que se apossou da nossa equipa só vejo uma solução. Chamar os Chineses! Pelos vistos, Mexicanos, Espanhóis, Brasileiros, mais um sortido oriundo dos Camarões, Mali, Coreia, Holanda, Uruguai e Argélia, e meia dúzia de portugueses são insuficientes.
Afinal o futebol indígena está de boas relações com a China. O presidente da Liga, em viagem recente a Pequim, fez um acordo com a Leadman que vai trazer 10 futebolistas chineses e 3 treinadores para a Segunda Liga. Se há clubes importantes (importantíssimos) o Freamunde, Aves, Leixões, Atletico e Braga B, porque não antecipar-nos à concorrência, solicitar os bons ofícios de Pedro Proença e recrutar aí uns 4 ou 5 para a nossa equipa? Em troca, como prova da nossa boa-fé, enviamos para a China o ex-treinador do PSD Marcelo Lippi e o adjunto Bruce Pacheco Willis.
O mais difícil será decorar os seus nomes. Recordamos o facto do sapateiro que (ainda) treina os Calimeros ter levado dois anos a conseguir pronunciar o nome do nosso anterior treinador que, salvo erro, se chamava Logotepago!

Não podemos esquecer que a China deverá estar a par das trapalhadas do nosso futebol, desde que o pesetero Luís Figo inaugurou há cerca de 2 anos em Pequim a Academia Winning League/Figo Football que já se expandiu por mais 7 cidades, e tem mais de 2000 alunos. Quer dizer: já tem a escola toda. “Vocês sabem do que estou a falar!” Josés Veigas, Jorges Mendes, Vales Azevedos, Álvaros Sobrinhos, and so on.

O próprio Futebol Clube do Porto, em finais do ano passado, estabeleceu uma parceria com a equipa de sub-19 HubeiFA que realizaram um estágio no Dragon Force. Ora se nós com cerca de 10 milhões de habitantes conseguimos ter jogadores espalhados por essa Europa fora, na China onde vivem 1,3 biliões, não conseguiremos arranjar uns 2 ou 3 para o Dragão? Depois, dadas as boas relações com as operadoras de televisão deveríamos pedir-lhes para inscreverem os comentadores desportivos e políticos que andam por aí a meter nojo, no Got Talent Portugal.
Algumas movimentações estranhas dão-nos conhecimento de “reuniões secretas” entre antigos jogadores para elaborar uma lista a apresentar às próximas eleições, isto claro se o nosso presidente resolver ampliar o seu envolvimento no Museu, e passe a “ator residente” como muito bem merece.
Espero que tenham gostado das minhas fotomontagens. É Carnaval ninguém leva a mal.

Até à próxima

2 comentários:

Fernando Pedro disse...

Eheheheheheheh!!! Bela crónica. Sempre acutilante bem à moda do Zé Lima. Como o Carnaval já terminou espero que o dragão vá para o super clássico despido de fantasias e com sebo nas canelas.

JOSE LIMA disse...

Obrigado Pedro. A situação não está fácil. Abraço