domingo, 12 de agosto de 2012

Jackson á Falcao dá mais uma Supertaça ao Dragão

Noite de festa em Aveiro, com o regresso do futebol "a contar" aos estádios portugueses. A primeira taça da época, a Super, vai de viagem até ao Porto, porque Jackson Martínez resolveu a partida aos 90 minutos, com o golo da vitória portista por 1 x 0.

Como está adulta e madura esta Académica, sem complexos de equipa média ou de valor menor, mesmo que o adversário da noite se tenha chamado FC Porto, por sinal o Bicampeão do nosso futebol. Não foi exuberante - nem pouco mais ou menos -, mas olhou o Dragão bem de frente e travou uma luta na qual esteve sempre na disputa aos pontos até bem perto do fim. Cai de pé, como se diz.

O duelo, à boa maneira Estudantil, teve algo de "caloiros versus doutores." A Briosa, estreante no palco de uma Supertaça Cândido de Oliveira, apanhou pela frente o grande dominador da prova, agora com 19 Supertaças a reinarem no museu do Dragão. Ainda assim, e apesar do respeito natural, foi um "bando" de novatos a irritaram os mais credenciados pela história.

Mas nem tudo brilhou no manto negro. Ricardo, por exemplo, mostrou logo aos 30 segundos que o nervosismo lhe morava no corpo, quando deixou que a bola lhe fugisse perigosamente para a linha de golo. Aos 17' saiu em falso a um canto de James Rodríguez - tal como aos 61' - e aos 27' não conseguiu segurar um livre de Maicon. Sorte para ele que Christian Atsu falhou o remate que sobrou.

E por aqui já vamos nos momentos "Porto" da noite de Aveiro. O Campeão continua lento nos processos e Defour não é, claramente, João Moutinho. O primeiro foi titular, o segundo substitui-o aos 57 minutos. Ainda assim, foram do FC Porto as melhores ocasiões, como a bela jogada entre Lucho e Miguel Lopes: o lateral cruzou atrasado mas o remate de James acabou nas mãos seguras - agora sim - de Ricardo.

Até ao descanso, dois momentos. O primeiro, aos 39', num livre batido por Hélder Cabral. O topo norte do Municipal de Aveiro festejou, enganado pela ilusão de ótica da baliza oposta. Helton voou sem hipóteses mas a bola tocou na parte errada da linha. Por fim, aos 45', um cabeceamento de Mangala a assustar Ricardo.

Agora, a vez de Jackson Martínez. O reforço Colombiano dos Dragões passou 45 minutos a jogar de costas para Ricardo e no primeiro lance do segundo tempo atirou por cima, já dentro da área Academista. Mostra que tem "pés" para a bola, embora estes ainda procurem o caminho certo para o futebol Portista. Contudo, iria resolver de cabeça, bem perto do fim. Mas já lá vamos.

Já com Moutinho em campo - só podia, face à nulidade de Defour -, o FC Porto cresceu na intensidade (nem sempre na qualidade) e forçou a Académica a um redobrar na concentração. Numa das vezes em que conseguiu esticar-se, Salim Cissé trocou os passos e esqueceu-se de rumar à baliza de Helton. Parecendo que não, estava quase isolado. Pouco tempo depois, uma história de redenção. Ricardo, o do nervosismo no corpo, brilhou ao mais alto nível. A defesa ao remate acrobático de Otamendi é soberba!

Vivia-se por esta altura, a 25 minutos do final, um assédio assombroso do FC Porto à baliza da Briosa, com o cenário a repetir-se das bancadas para o relvado. O Dragão atravessava o melhor momento de todo o jogo, mas a baliza continuava um corpo estranho aos Azuis e Brancos. A Académica, essa, vestiu-se para sofrer e lá foi aguentando o sonho ao compasso disciplinado dos minutos, resistindo até ao golo anulado a Jackson. E Salim Cissé, aos 84', até teve na cabeça o chamado "golpe de teatro."

No entanto, esse estava guardado a "sete chaves" para o minuto 90, qual acto apoteótico em Aveiro. Jackson Martínez, o reforço de peso, resolveu o jogo de cabeça, num golpe a bater Ricardo e que selou a conquista da 19ª Supertaça por parte do FC Porto. E assim, à primeira, Jackson resolveu o thriller.

Retirado de zerozero

Melhor em Campo. João Moutinho

2 comentários:

Armando Pinto disse...

Um lindo final feliz, que é o que interessa. Começo em Grande e agora venha o campeonato!


19ª Supertaça para o F. C. Porto, com golo de estreia à Jackson…!

http://memoriaporto.blogspot.pt/2012/08/19-supertaca-para-o-f-c-porto-com-golo.html

Dragus Invictus disse...

Bom dia,

Ontem não fizemos um jogo brilhante e conseguido.

Tivemos a capacidade de controlar o adversário, que apenas teve bola junto da nossa área nos minutos finais do primeiro tempo, e que nada vez em termos atacantes, remetendo-se a defender atrás da linha da bola.

Dominamos o adversário sem contudo ser objectivos. O nosso trio de meio campo mostrou-se muito estático e sem ideias. James ia tentando encontrar espaços,e Atsu tentava desequilibrar sem sucesso.

Desta forma Jackson era obrigado a sair da área e procurar jogo sem sucesso, pois apesar de ter boa técnica e combinar bem, pela sua fisionomia não tem capacidade de explosão para a baliza.

Continuo sem perceber VP que coloca Lucho demasiado adiantado no miolo. Lucho é uma mais valia a partir uns metros à frente de Fernando e a construir e lançar longo.

Miguel Lopes ontem não foi o lateral que precisávamos, não deu profundidade ao corredor e quando deu resultou em golo. Tem de ganhar confiança e assumir o corredor.

Maicon, Otamendi e Helton foram seguros e tiveram bem.

Mangala na minha opinião foi o melhor em campo. Tinha Marinho pela frente e marcou-o bem, dobrou muitas vezes ao meio e ainda atacou.

A partir da entrada de Moutinho, a equipa ganhou mais ritmo e dinâmica e o golo surgiu justamente, pois não merecíamos o prolongamento.

Foi bonita a festa da família Portista nas bancadas e o fairplay dentro e fora de campo.

Foi o 72º. titulo para o melhor clube português, aqui e além mar.

Abraço e bom domingo

Paulo

pronunciadodragao.blogspot.pt