domingo, 2 de setembro de 2012

Dragões vencem á tangente

O FC Porto desceu ao Algarve e somou mais três pontos na sua caminhada para tentar revalidar o título. O triunfo Portista foi carimbado com a preciosa ajuda do "agente secreto" James Rodríguez. Ele marcou e deu a marcar no triunfo por 2 x 3.
 Com cerca de 10 mil espectadores nas bancadas do estádio Algarve, os Azuis e Brancos, com Moutinho e Hulk no onze titular e Defour no lugar de Fernando, tentaram colocar, desde cedo, o Olhanense em sentido. Aos três minutos, Lucho obrigou Ricardo a uma defesa apertada.
 Os Bicampeões dominavam o jogo, pressionavam os Algarvios no último reduto, mas o Olhanense – sobretudo a espreitar o contra-ataque – chegou com sucesso à baliza de Helton, aos 13 minutos. Rui Duarte meteu velocidade pela direita, tirou o cruzamento para a área onde apareceu Abdi. O jogador do Olhanense chutou forte e não deu hipóteses a Helton. Estava feito o 1 x 0.
Lentos e com muitas perdas de bola, os homens de Vítor Pereira não estavam a conseguir chegar à baliza de Ricardo. Inquieto, Vítor Pereira percebia do banco que o FC Porto estava a sentir o golo e o Olhanense, por seu lado, a crescer na partida. Vai dai, Vítor Pereira arriscou... sem perder mais tempo. Aos 30', o treinador portista trocou Atsu (esteve longe das exibições prometedoras do início de época) por James, o "agente secreto" da partida.
Com a entrada do Colombiano cheirava cada vez mais a golo e ele acabou mesmo por chegar, na sequência de uma bola parada.
Na segunda parte, o FC Porto, com outra atitude em campo, colocou-se em vantagem. James fez sociedade com Jackson e a dupla de colombianos colocou os Dragões na frente. El Bandido fez um passe a rasgar a defesa do Olhanense e Jackson Martínez fintou Ricardo, colocou-se com a baliza deserta e fez o segundo golo do FC Porto.
Com o avançar dos minutos, os jogadores do Olhanense começaram a quebrar fisicamente. Alheio a problemas dos outros, o FC Porto carregou ainda mais e conseguiu o terceiro golo, aos 73'. Hulk disparou um míssil. O Incrível simulou que ia rematar de primeira e depois fuzilou Ricardo na esquerda. Nada a fazer pelo guarda-redes Português e o FC Porto estava cada vez mais na frente.
O jogo parecia decidido mas Targino, do Olhanense, tratou de colocar a incerteza no resultado com um golo aos 86'. Castro, num regresso a Olhão, perdeu a bola, Rui Duarte agradeceu e abriu para Targino. O antigo jogador do Vitória de Guimarães ganhou a Maicon em velocidade e bateu Helton.
O FC Porto sofreu nos últimos minutos, mas conseguiu segurar os três pontos.
 
Retirado de zerozero
 
Melhor em Campo: James Rodríguez
 

3 comentários:

Armando Pinto disse...

Vitória importante diante dum adversário difícil, superando o Olhanense e somando mais pontos, relacionado aos jogo da época passada (relativamente a uma derrota e um empate antes, desta feita foi empate em Barcelos e vitória de agora).
Uma resposta afirmativa ao momento presente, superando as dificuldades derivadas no tardio fecho do mercado e preparação a conta-gotas da maioria dos internacionais. Com o que se passou neste jogo já conta a permanência de Hulk, Moutinho e demais. Tal qual, apesar de tudo, o treinador mostrou que não é o que se pinta por muito lado, pois soube mexer na equipa, para melhor. Aliás, no que se tem lido entre gente Portista, anda muito comentário na internet que mais parece de adversários, a meter veneno, ou pelo menos a parecer, porque assim dão ideia de não terem gostado da vitória do F C Porto. Ora,pese os momentos menos bons do início e fim do jogo, cujos erros e receios deverão ser bem atacados, gostei na generalidade do empenho e da exibição, bem como especialmente do resultado, que nos dá um domingo com boa disposição e um futuro auspicioso.

Memória Portista
http://memoriaporto.blogspot.pt/

P. Ungaro disse...

Boas,

Foi um jogo assim, assim ... perante um relvado bom para pasto, os jogadores do Porto quer na altura de decisão quer no 1º golo dos de Olhão, não conseguiram ser eficazes e ficaram nas covas.
Para quem por sistema critica Vitor Pereira (que eu tambem não morro de amores) ele esteve muito bem aos 35 minutos (algo que é quase pecado para a maior parte dos treinadores, esperam os 60 minutos) a ler o jogo e a trocar Atsu por James.
Esta visto que James rende mais quando vem do banco e mais uma vez entrou bem, aso contrario de um jogador que aprecio, Silvestre Varela.
Penso que ainda temos que trabalhar mais e os jogadores saberem que o jogo tem 90 minutos e é importante que lutem do primeiro ao ultimo.
Não entendi a atitude do Sergio ... mas ja não é a primeira nem será a ultima.

um abraço

http://fcportonoticias-dodragao.blogspot.pt

The Blue One disse...

"Tal qual, apesar de tudo, o treinador mostrou que não é o que se pinta por muito lado, pois soube mexer na equipa, para melhor. Aliás, no que se tem lido entre gente Portista, anda muito comentário na internet que mais parece de adversários, a meter veneno, ou pelo menos a parecer, porque assim dão ideia de não terem gostado da vitória do F C Porto."

É natural que hajam as mais diversas opiniões num Clube Vencedor como o nosso onde os Adeptos estão muito mal habituados.

E tenho para mim que Vítor Pereira não fez nada de especial. Estava eu sentado no sofá em frente ao Televisor e já pensava nesta troca do Atsu pelo James. Não que o Ganês não tenha um enorme potencial, mas porque o jogo estava muito complicado para um Jogador tão jovem.

Estou a ficar com a clara ideia de que VP não sabe lidar com os Jogadores jovens. Vamos a ver o que vai acontecer na 4-ª Jornada...