domingo, 9 de dezembro de 2012

Foi complicado limpar a nódoa

Foram 71 minutos a bater no «muro» erguido por um Moreirense estóico no estádio do Dragão, até que a parceria Colombiana “James e Jackson” resolveu a preocupação Portista. Um triunfo tangencial (1 x 0) dos Bicampeões Nacionais antes do dérbi de segunda à noite.
Os primeiros ensaios do FC Porto para tentar derrubar o «muro» cónego tiveram assinatura Colombiana. James Rodríguez e Jackson Martínez tentaram de todas as formas e feitios; de cabeça, com o pé esquerdo, com o pé direito, mas o nulo segurou-se perante estas ameaças ainda dentro do primeiro quarto de hora no novo «tapete» do Dragão.
O domínio era, naturalmente, Azul e Branco e o Moreirense tentava estoicamente manter o «muro» de pé. Aos 21 minutos atreveu-se – a única vez – a visitar a área de Helton, mas o remate de Pintassilgo saiu por cima. O jogo voltou depois ao sentido normal, com o FC Porto a procurar uma brecha por onde pudesse começar a escavar.
Aos 28 minutos, Lucho, James, Moutinho e Varela desenharam a jogada mais bonita da primeira parte; o cruzamento do extremo chegou a Jackson Martínez que desviou… para fora. Pouco depois, aos 33’, a melhor ocasião de golo para os Portistas: João Moutinho rematou de pé esquerdo e Ricardo Ribeiro sacudiu para canto após uma defesa apertada.
E da primeira parte era tudo, de um FC Porto com Steven Defour no lugar de Fernando, com mais bola e sentido ofensivo, mas longe de uma resolução adequada na hora de finalizar. Com Deco de regresso ao Dragão, que jeito tinha dado a Vítor Pereira que o Luso-brasileiro não estivesse apenas de visita saudosista.
Ao intervalo, Lucho González ficou no balneário depois de ter apresentado queixas físicas num joelho no final da primeira parte. Vítor Pereira lançou Kelvin para o lugar do Argentino e aos 58 minutos, ainda com o empate na ficha, tirou Silvestre Varela e colocou Kléber ao lado de Jackson Martínez, com o intuito de aumentar a carga «explosiva» no «muro» cónego.
Por esta altura já o FC Porto tinha tido três boas ocasiões para marcar; primeiro por Varela e mais tarde por João Moutinho, de livre, mas a melhor delas saiu de um remate de James Rodríguez desviado decisivamente por um defesa do Moreirense. Por falar na equipa de Jorge Casquilha, quase que chegava à felicidade suprema aos 65 minutos quando Otamendi ficou perto de um autogolo. Valeu Helton.
Ao contrário da primeira parte, o jogo ganhava agora ritmo e velocidade. Era, na verdade, uma agradável partida de futebol à passagem da hora de jogo no Estádio do Dragão. O FC Porto carregava, o Moreirense não quebrava e quando tudo falhasse havia Ricardo Ribeiro para segurar o 0 x 0, como aos 66 minutos, quando defendeu com as pernas um remate de James Rodríguez
A resistência dos Vimaranenses acabaria por ceder a 20 minutos dos 90. Estará o leitor recordado dos primeiros ensaios da noite, com a dupla Colombiana "J & J" na linha da frente. Pois bem, foi essa dupla Sul-americana a resolver este problema para o FC Porto. James Rodríguez bateu o canto e Jackson Martínez, de cabeça, fez o 1 x 0, aos 71 minutos. Caía aí o «muro» cónego depois de uma hora e dez minutos de feroz resistência, sendo ainda de louvar a busca da igualdade nos minutos finais. Não chegou, mas ficou a boa impressão.

Retirado de zerozero

Melhor em Campo: James Rodríguez

3 comentários:

Dragus Invictus disse...

Bom dia,

Os 5 minutos iniciais foram o prenuncio do que estava para vir.
Um FC Porto instalado no meio campo adversário, e o Moreirense a tentar numa transição rápida ou num erro defensivo nosso "molhar a pena".
Ricardo, guardião dos visitantes começava a exibir-se a bom nível.

Teria de ser portanto um FC Porto de labor e com cabeça para alcançar a vitória.

E assim foi. Tivemos capacidade de aguentar a pressão da busca vitória, e foi com justiça que vencemos.

Foi um duro teste à nossa capacidade de aguentar a pressão.
O Moreirense foi feliz, teve um guarda-redes inspirado, e só assim não levou uma pesada goleada para Moreira de Cónegos.

Na segunda feira iremos assistir ao dérbi lisboeta, na expectativa de um Sporting que dê um pontapé na crise e obtenha uma vitória sobre os encarnados.

Abraço e bom domingo

Paulo

pronunciadodragao.blogspot.pt

Luis disse...

Onde está a imagem do penalty contra o Porto que o árbitro não quis ver?

The Blue One disse...

Este Blog ainda está longe de se transformar nos "discos pedidos" meu caro.