quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Este Benfica é Feito em Photoshop

Depois do espetáculo degradante que o senhor árbitro/adepto do Benfica protagonizou em Moreira de Cónegos fiquei sem perceber por que motivo entrou em campo vestido de branco como as virgens e pediu respeito. Com todas as tropelias, falhas e aldrabices, que os homens do apito tem protagonizado semana após semana, só ainda não entendi como é que ainda há público que pague para assistir a jogos que a FPF e a Comissão de Arbitragem transformaram numa fantochada. Fartei-me de ser roubado centenas de vezes mas temporada como esta não me recordo de nenhuma. E “venho de longe, de muito longe” como canta o Zé Mário Branco. Vejam lá que ainda me lembro do Calabote!
Bem sei que o senhor Vítor Pereira (que não tem ninguém a quem prestar contas) foi eleito para que o Diretor do Circo apoiasse o senhor Fernando Gomes e este, como moeda de troca, apoiasse o senhor Vieira para desfeitear os Calimeros. Tenho algumas dúvidas mas parece que estas “combinações” estão muito na moda. Agora já não são precisos visons para as mulheres dos árbitros. Bastam uns croquetes ou mensagens nos télélés.
 
O que tenho a certeza é que este Benfica, cantado pelos pasquins da capital, não existe. É um efeito do Photoshop. O popular programa de computador que fez na semana passada 25 anos transforma a realidade dando às coisas verdadeiras um aspeto diferente do real. Tão a ver? Cantos que não são cantos mas que depois dão golo, penaltys que são penaltys mas ao clube da treta são perdoados, cacetadas que não são marcadas e o “outro” é que vai expulso! Por mim até gostava mais do Circus Flamenco do Quique Flores. Também não jogavam nada mas, pelo menos, davam-nos música!
Resolvi então entrar na brincadeira e “desfocar” a história como eles fazem aos jogos. Nada melhor do que inventar fatos e criar situações a fingir que são autênticas. Então lá fui ao arquivo recolher algumas das fotomontagens que me entretenho a fazer onde estes aldrabões são protagonistas. Se acharem as imagens “estranhas” não duvidem delas. Basta os meus amigos imaginarem que são verdadeiras. Pelo menos tão verdadeiras como o primeiro golo do clube da treta ao Moreirense.
Por exemplo: na terra deste lambe-botas dos 7 instrumentos (mandatário da candidatura há 12 anos do senhor Vieira) e candidato-a-candidato de tudo o que mexe, no passado fim-de-semana não houve jogos em Viseu, por motivo da greve dos árbitros. “Querem respeito”! Não sei porquê. Como diria o outro “eles sabem que nós sabemos” como foram lá parar. Ano após ano, essas personagens sinistras a quem chamam observadores, favoreceram os paixões, lucilios, xistras etc. e correram com outros, de maneira que hoje só lá ficaram adeptos e sócios confessos da “instituição”. São como os vesgos. Olham para um lado mas estão a ver o outro.
Toda a gente chegou à conclusão que “esta” LIGA é mesmo uma farsa. Toda não! Os compinchas que ilustram (graças ao tal Photoshop) esta foto de família participam desta comédia, escondendo-se hipocritamente atrás da ”verdade desportiva”. Da verdade deles bem entendido. O senhor Rui Santos passa a frase em rodapé no TEMPO EXTRA e já foi de joelhos à Assembleia da Republica levar uma petição. O próximo passo desta comédia, só pode ser a greve dos pasquins, falados, escritos ou televisionados porque o público nos estádios, as tiragens, e as audiências das TV’s estão a baixar. Vejam lá que injustiça! Pessoas tão amantes da verdade desportiva, quais querubins de asa murcha, chulos da CS que temos, taditos, tem que levar o andor aos ombros para terem direito à sopa!
Falido até ao tutano este quarteto sabe bem que se não ganhar esta LIGA e vender a pouca carne humana que ainda lhe resta, ou muda o nome do galinheiro ou vai jogar para os distritais (fairplay financeiro dixit). Engraçado que os caceteiros (Di Maria, Coentrão, Ramires, David Luiz, Javi, Matic, Enzo, etc.) que por cá os cãezinhos amestrados do senhor Vítor Pereira nem amarelos lhes mostravam lá fora estão carregadinhos de cartões. A Banca fechou-lhes a torneira, o Costa da Câmara levou uma tampa da Assembleia, e a menos que o Santana Lopes lhes dê mais uns terrenos como fez para o estádio, qualquer dia tem que começar a pagar aos credores como os outros meninos ou então fechar a tasca.
“Pertante” à cautela é preciso ir pensando em mudar o naming. Em vez de Cesta do Pão o nome TITANIC parece-lhes bem? A quem conseguiu vender um frangueiro por 8 milhões, duas vezes e a dois clubes falidos, tem que se lhe tirar o chapéu! Devem ser negócios à moda do Dominguinhos o diretor financeiro que junto com o senhor Vieira, são os responsáveis por em 12 anos terem aumentado o Passivo da “instituição” de 80 para 600M€.
O senhor Moniz da Media Capital, ressuscitado recentemente, ousou abrir a bocarra. Nem teve tempo de respirar. Levou logo pelas ventas abaixo com um ror de campeonatos, taças e champions. Bocas por bocas mais lhe valera estar calado e fazer como a mulher. Ir trabalhar para a TV. Afinal é isso que ele sabe fazer. Deixe o futebol para os meninos grandes.
 
Até ao próximo “roubo de igreja”

3 comentários:

Jorge Vassalo disse...

Grande texto, como sempre, caro José Lima!

Abraço Azul e Branco,

Jorge Vassalo | Porto Universal

Unknown disse...

https://www.youtube.com/watch?v=itkcfELRzys

https://www.youtube.com/watch?v=FhWIn5ODgP0

https://www.youtube.com/watch?v=8JSgXwqQJUY

etc.

Caladinho... que ao pé de vós, são todos amadores.

Miguel Lima disse...

não se arranjam por aí as escutas do Orelhas a escolher árbitros como eu a escolher que roupa vestir? é só para elucidar o lampião ali em cima, que no actual contexto tem mesmo uma lata descomunal para vir para cá com esta temática...