terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Só deu Porto!

No ataque à liderança, o FC Porto não sentiu grandes dificuldades para bater o Gil Vicente. Os Portistas derrotaram a equipa de Barcelos por 5 x 0, no Dragão, no jogo que fechou a 16ª jornada da Liga Portuguesa.
O Gil Vicente tinha sido uma das poucas equipas que conseguiu roubar pontos ao Campeão Nacional na primeira volta. O FC Porto empatou em Barcelos mas os Gilistas sabiam que a dificuldade agora era maior. Os Azuis e Brancos, a jogar em casa e em velocidade cruzeiro rumo ao Título – lado a lado com o Benfica – não iriam facilitar no cerco ao primeiro lugar. E a verdade é que não facilitaram mesmo.
Se as dificuldades eram esperadas, os jogadores de Vítor Pereira trataram de confirmar que não estavam para brincadeiras. É que o FC Porto teve uma entrada muito forte e garantiu uma vantagem confortável muito cedo na partida.
Logo aos quatro minutos, Danilo abriu o activo com a ajuda de Cláudio. O Brasileiro correu pelo lado direito, fez a diagonal para a zona central e disparou de pé esquerdo; a bola ainda bateu no Gilista Cláudio e acabou por trair o guarda-redes.
O Gil Vicente ia mostrando grandes dificuldades em travar os Portistas e a missão complicou-se (ainda mais) com o segundo golo em tons de Azul. O relógio marcava 12 minutos quando Vítor Vinha desviou a bola para o fundo da sua própria baliza, após uma jogada de Otamendi.
Contado assim... não é de estranhar, pois, que jogo tivesse apenas um sentido: a baliza do Gil Vicente. Era fácil, muito fácil para o FC Porto. O jogo circulava, as jogadas apareciam e reinava a tranquilidade no onze Portista.
Ao intervalo... dois para o FC Porto e zero para o conjunto de Barcelos. Ah, Liedson era a estrela nas bancadas. O Levezinho desdobrou-se em fotografias e é, por assim dizer, uma estrela do grupo mesmo antes de se estrear com a camisola Portista.
No recomeço... mais do mesmo. O FC Porto a esticar futebol e o Gil Vicente a defender-se como bem podia.
No entanto, a primeira ocasião de golo da segunda parte foi dos homens de Paulo Alves; aos 52 minutos, Brito disparou uma «bomba» e a bola a saiu perto do poste esquerdo da baliza de Helton, após uma perda incrível (pouco habitual) de Fernando a meio-campo.
Mas os Azuis e Brancos têm outras armas que a equipa Minhota não tem. Assim, o terceiro golo apareceu logo aos 54 minutos. O Belga Defour levantou o estádio, após um 'bailinho' no lado esquerdo da grande-área, num pontapé forte e sem hipóteses para o guarda-redes do Gil Vicente.
O terceiro golo selou o triunfo Portista. A equipa de Barcelos tentava não sofrer mais perante o FC Porto mas a tarefa – que difícil estava – pior ficou com a expulsão de Cláudio. O 'patrão' da defesa Gilista teve uma entrada dura sobre Moutinho e viu o segundo amarelo e respectivo vermelho.
Com o terceiro golo, os 24 mil 202 adeptos que se apresentaram no Dragão, viram o FC Porto a controlar a partida e a ameaçar as redes do Gil Vicente de quando em vez. Três golos de diferença, diga-se, permitiam ao FC Porto recolher para si o estatuto de Líder do Campeonato, ainda que empatados pontualmente com o Benfica.
No entanto, a falta de esclarecimento do Gil Vicente na defesa (no ataque nem existiu) escancarou o caminho ao FC Porto para o quarto golo. Aos 75 minutos, Varela atirou de cabeça para o fundo da baliza, após uma assistência de classe de Castro.
Os restantes minutos serviram apenas para agoniar os jogadores do Gil Vicente e para os Bicampeões Nacionais tentarem o quinto golo. E ele apareceu. Tente adivinhar.... Jackson Martínez, claro. Fugiu aos centrais e na cara do guarda-redes não falhou. Um golo digno de ponta-de-lança. Uma goleada destas fechou, pois, ao ritmo de Cha cha cha.
O FC Porto soma agora 42 pontos - tal como o Benfica - e o Gil Viente segue com 15 nos lugares mais baixos da tabela.

Retirado de zerozero

Melhor em Campo: João Moutinho

4 comentários:

Zé Manel disse...

Vitória sem espinhas do dragão que poderia ter marcado ainda mais. Penalty por assinalar e jogo 100% controlado! Vitória à Porto

http://dragaocomrazao.blogspot.pt/2013/01/fc-porto-vs-gil-vicente-lideranca-e.html

Zé Manel disse...

Vitória sem espinhas do dragão que poderia ter marcado ainda mais. Penalty por assinalar e jogo 100% controlado! Vitória à Porto

http://dragaocomrazao.blogspot.pt/2013/01/fc-porto-vs-gil-vicente-lideranca-e.html

Dragus Invictus disse...

Bom dia,

Desde o apito inicial, a nossa equipa deu um sinal claro que pretendia resolver a contenda o mais célere possível.

O FC Porto com uma pressão muito alta e muita posse de bola, não deixou o Gil Vicente armar jogo, e foi com naturalidade que a goleada foi construida.

O Gil Vicente foi impotente perante o nosso domínio, e a nossa atitude e classe tornaram fácil o jogo que se avizinhava difícil.

Desta vez o destaque vai para o nosso jogo colectivo.
Tivemos momentos de grande futebol, com grande entrosamento entre sectores, com o nosso miolo constituído por Fernando, Lucho e Moutinho a efectuar uma exibição sem mácula.
Defour e Danilo evidenciaram-se pelos excelentes golos apontados.
Defour é o jogador mais útil do plantel. Disciplinado tácticamente, o belga consegue ser uma mais valia para o equilíbrio da equipa. Mereceu o golo que já procurava à algum tempo.
Lucho fez duas assistências para golo, formando com Moutinho uma dupla de respeito.
O momento da noite foi a finalização de Jackson no quinto golo. O colombiano é um avançado de classe e uma vez mais com um grande pormenor técnico, finaliza na passada.

A nossa equipa fez um jogo seguro e acabou por obter uma vitória fácil.
Sem colinho e sem frangos o FC Porto chega à liderança em absoluto do campeonato, fruto de uma maior diferença entre golos marcados e sofridos.

Abraço e boa semana

Paulo

pronunciadodragao.blogspot.pt

Rui Anjos (Dragaopentacampeao) disse...

Exibição muito agradável com resultado a condizer. Quando assim é só os elogios e os parabéns a todos, que constituíram um colectivo forte, unido, solidário, talentoso e ambicioso, deve ser realçado.

Não posso porém de deixar passar em claro a azia quase geral dos comentadores, ditos desportivos, que se portaram como agentes do anti futebol. Pelo facto do Gil Vicente não incorrer num jogo faltoso e/ou violento, apelidaram-no de macio! Naturalmente estão habituados a ver o FC Porto ter de jogar contra especialistas no Ragby, no karaté ou no Kung-Fu, com a complacência dos árbitros. E quando são dois expulsos, como contra o Setúbal, cai o Carmo e a Trindade! Enfim, uns tristes alienados.

Um abraço