quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Mary Poppins recordada na FPF

No dia 29 de Agosto de 1964, estreava nos Estados Unidos “Mary Poppins” uma fantasia musical da Disney. O filme narra a história do banqueiro George Banks que trata com severidade os seus filhos. Os miúdos Michael e Jane “despedem” todas as amas que o pai contrata. Certa noite, Jane, escreve uma carta onde pede o que seria a ama perfeita. No dia seguinte Mary Poppins desce do céu suspensa de um guarda-chuva com a carta na mão e, a partir daí, enche de alegria e animação a vida daquela família. In Wikipedia
50 anos depois Fernando Gomes, o insigne presidente da FPF, ressuscita na pele da intérprete de “Supercalifragilisticexpialidoso” canção que descreve a fórmula milagrosa para sair bem de situações difíceis. Uma outra interpretação faz referência a “algo acima do comum” que só poderia ser a decisão do Conselho de Justiça sobre as eleições na LIGA a que o senhor Fernando Gomes, nem sequer se referiu, provavelmente para desviar as responsabilidades da FPF das diatribes do senhor que manda no “Organismo Autónomo”.

Veio então anunciar umas medidas avulsas que não tem nada a ver com as críticas que deveria ter assumido há dois meses sobre a miserável prestação da equipa técnica que escolheu para o Mundial. Quando se esperava (no mínimo) que dirigisse criticas ao único responsável por aquele descalabro, o treinador Paulo Bento, mais os restantes membros/ex-jogadores do clube da treta que se pavoneiam pela FPF e ninguém sabe ao certo o que andam por lá a fazer, arranjou outro “culpado”. O médico da seleção Dr. Henrique Jones e a equipa médica foram despachados em grande velocidade. Em sua substituição criou uma tal USP Unidade de Saúde e Performance, uma espécie de BES SAÚDE aplicado ao futebol!

Noutro quadrante da FPF, o esperado castigo ao arruaceiro do costume, não se verificou. Jorge Jesus foi apenas “punido” com uma multa sem significado. Não sei o que mais precisa o homem de fazer para levar uma sanção exemplar. Repare-se no que aconteceu a Bill Davies treinador do Nottingham Forest em Março. Foi castigado com cinco jogos de suspensão e vai pagar 11 mil euros de multa. Em causa esteve um incidente no túnel no intervalo do jogo Nottingham Forest x Leicester City, que envolveu Davies e o árbitro do encontro.

A Comissão Reguladora Independente que tomou conta do caso acusou o técnico do Nottingham de quebrar duas alíneas da regra E3 da Football Association, órgão que rege o futebol inglês, que prevê incidentes no túnel e pune linguagem imprópria ou confrontos. Agora foi conhecido o castigo a Simeone que, por motivos semelhantes razões, levou 8 jogos!
O trolha que (ainda) treina o clube da treta é useiro e vezeiro em atitudes como esta, dentro e fora do relvado, mas para os órgãos do nosso futebol é um protegido do sistema. Passa os jogos a gesticular, protesta com o 4º árbitro e auxiliares e insulta o árbitro do encontro. Neste caso de Domingo, como prémio, foi confraternizar com uns amigos que tem por aqueles lados.

À margem do encontro em que a “instituição” foi beneficiada com a anulação de um golo perfeitamente legal, continuámos a assistir às nomeações do tratador dos cãezinhos amestrados. Nomeia sempre árbitros benfiquistas para jogos do Benfica. Também se calhar não há outros, eles são escolhidos a dedo. Nas subidas e descidas dos árbitros está o truque. Os lacaios tudo fazem para agradar ao clube do regime. Vamos ver quem será o feliz contemplado para dar a banhada no próximo Domingo aos Calimeros sabendo-se que em relação a esta corja, nem mesmo a nossa Mary Poppins conseguirá fazer nada.

Até à próxima.