segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

A RTP e a CHAMPIONS

Pelos vistos na “nossa” RTP, aquela pela qual todos pagamos uma taxa na fatura da eletricidade, há duas entidades a mandar. O Conselho Geral Independente (CGI) e o Conselho de Administração (CA). Como noutras instâncias deste país de opereta quando não se sabe ou percebe do assunto cria-se uma comissão ou conselhos (independentes ou não) pastos fácil da partidarite que abocanham mais umas dezenas de milhares de euros mensais.
 
Então o que aconteceu foi o CA liderado por Alberto da Ponte negociar com a TEAM, empresa detentora dos direitos televisivos da Champions, a compra para a RTP da transmissão dos jogos das próximas 3 épocas. “Aqui del rei o que foste fazer” gritou furiosa a cambada do Conselho Geral Independente, “então e nós não recolhemos os louros? Vamos ter eleições e vinha mesmo a calhar para animar a populaça.” E vá de começarem a publicitar o feito, admitindo até “partilhar” os jogos com outros operadores privados. O resto é conhecido. Entrou pelo meio mais um organismo que não serve para nada, ERC (Entidade Reguladora da Comunicação), que passou a importante discussão para a Comissão de Ética (outra que tal) e ainda baralhou mais as coisas.
É que os ignorantes que fazem parte do CGI desconheciam, que para partilhar os joguinhos com outras operadoras e irem chupar na teta da vaca, tal só seria possível com uma autorização prévia que deveria constar do contrato. Thomas Schmidt, um responsável pelas negociações, veio pôr o caso em pratos limpos, declarando que “a RTP adquiriu os direitos para exibir os jogos e não para os revender”!
 
Tanto barulho por causa de 15M€ até 2018 facilmente recuperáveis. Imaginem quanto será o retorno publicitário que a operadora poderá atingir, se as equipas portuguesas se portarem bem na competição! O contrato está neste momento no gabinete da ministra das Finanças, a aguardar o seu aval. Até porque a compra dos direitos de transmissão dos jogos, que foi criticada pelo Governo, pela voz do ministro Marques Guedes, é uma hipótese que estava prevista através do Contrato de Concessão entre o Estado e a RTP conduzido por Poiares Maduro.
Mas já nada me admira. Olhando para as guerrinhas caseiras não é que os clubes da “LIGA nova” indigitaram Domingos Soares de Oliveira, o homem que está a levar a “instituição” à falência, para tratar da negociação da compra dos direitos pela Liga de forma centralizada? É que o clube da treta não tem dinheiro para investir, está mortinho para se ver livre da alhada em que se meteu, e quer passar a pasta a outro ficando apenas com os seus joguinhos em casa para não parecer mal. Se o homem pensa que Joaquim Oliveira (agora em parceria com a NOS) larga os joguinhos de mão beijada está muito enganado.
 
Estes incompetentes da RTP brincam e nem se apercebem do que estão a negociar. Vejam-se (tomando como exemplo a última época) os valores que cada clube participante ganhou e quanto poderá receber caso atinja a final.
 
Para aumentar a confusão foram conhecidos na última semana os valores a distribuir pelos clubes Ingleses relativos aos Direitos Televisivos para deixarem transmitir os jogos. Basta dizer que o clube que menos recebe ganhará quase tanto como os balúrdios que auferem Barcelona e Real de Madrid. O Liverpool, por exemplo pode na próxima temporada receber mais de 200M€, e o Cardiff (que será o que recebe menos) cerca de 125M€.
 
Naturalmente o reverso da medalha será o facto dos clubes Ingleses que vão receber muito mais dinheiro através dos contratos que conseguiram com o Sky Sports e BT Sport (fala-se em 7 mil milhões de euros por 3 épocas) verem os valores das compras de jogadores de topo que eventualmente pretendam adquirir fortemente inflacionados. Os pequeninos como nós continuam de fora das negociações, conseguindo de vez em quando, algum refugo emprestado.
 
Já ao terminar esta crónica fui confrontado com a decisão da CML de isentar o clube da treta do pagamento de taxas urbanísticas de cerca de 1,8M€ por intervenções a realizar junto ao Estádio da Luz, o que gerou críticas da oposição. O vereador António Prôa, do PSD, explicou à Lusa que o valor das isenções diz respeito a intervenções em áreas desportivas e em áreas complementares à atividade desportiva, como é o caso das instalações da Benfica TV e de restaurantes que existem no estádio.
 
Cerca de 27.500 metros quadrados são para licenciar e perto de 10.700 metros quadrados são construção nova. O Departamento de Planeamento e Reabilitação Urbana (DPRU) do município -- que apreciou o pedido -- considerou que "os usos propostos a legalizar de terciário/comércio são complementares ao uso de equipamento do complexo desportivo do Estádio da Luz". Se também isentarem de taxas as roulottes de cachorros concordo plenamente.
 
A parte da proposta que se refere à regularização de obras já feitas teve o voto favorável de todas as forças políticas, à exceção do PCP. O vereador comunista Carlos Moura indicou à Lusa que o objetivo é legalizar "construções contíguas ao estádio do Benfica que foram realizadas sem licenciamento e sem fiscalização da Câmara". Porém, para o vereador, "não devem existir obras que não são licenciadas", situação que classificou como "muito bizarra". Bizarra? Então eles não fazem sempre as coisas pelo outro lado?
Que importância tem 1,8M€ para trás ou para a frente numa autarquia que Santana Lopes e Carmona Rodrigues deixaram falida, precisamente com habilidades como estas favorecendo a “instituição”, referenciadas e condenadas pelo Tribunal de Contas sem que nenhum deles (ou ambos) tenha ido parar à cela 45? Como diria um nosso conhecido poeta/pensador (parabéns fez há dias 69 anos) afinal o Benfica não é um clube de futebol, é um Circo.
 
Até ao próximo espetáculo

4 comentários:

Fernando Tavares disse...

TODA DIRIA TODINHA....RAZÃO!
Mas meu caro a cultura do que se passa junto ao futebol é particularmente ensinada pelos pasquins desportivos até para supostos POLITICOS...Enfim é o que temos
Parabéns
ft

Jorge Vassalo disse...

Que grande post como só o senhor José Lima sabe fazer!

Abraço e que nunca lhe doam os dedos.

Jorge Vassalo | Porto Universal

Miguel Lima disse...


Bernardino Barros, esta noite, no Porto Canal, esteve absolutamente irrepreensível. foi fantástico. pena que a Direcção continue calada, numa estratégia cujo fito ainda não descortinei.

ps:
estamos a falar da mesma estação pública de televisão que adiantou uns contos largos ao 5lb para contratar Paulo Futre ao Marselha, certo? ok.

abr@ço
Miguel | Tomo II

Miguel Lima disse...
Este comentário foi removido pelo autor.