segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

E ganhou. De goleada!

Pressionado pelos triunfos de Benfica e Sporting, o FC Porto cumpriu a missão contra o Paços de Ferreira, adversário que na ronda anterior tinha surpreendido ao vencer os Encarnados, mas que no Estádio do Dragão não tiveram a mínima hipótese de voltar a causar uma surpresa.
Os comandados de Julen Lopetegui entraram bem no jogo e ao intervalo já tinham o jogo praticamente resolvido. O 3 x 0 espelhava a diferença de qualidade evidenciada pelas duas equipas ao longo dos primeiros 45 minutos e não espantava ninguém, tendo em conta que os Castores não realizaram um único remate à baliza de Fabiano durante o primeiro.
É verdade que o primeiro golo dos Dragões surgiu num lance caricato e que só aconteceu porque Rafael Defendi podia ter feito melhor do que socar a bola contra Jackson Martínez, que nada teve que fazer para introduzir o esférico dentro da baliza e inaugurar o marcador. Estavam decorridos 29 minutos quando o Colombiano assinou o 1 x 0 e o pior para o Paços de Ferreira ainda estava para vir.
Nos últimos 15 minutos o FC Porto marcou por mais duas vezes e o denominador comum dos dois golos chama-se Ricardo Quaresma. O internacional Português apontou o 2 x 0 de grande penalidade, num lance em que há falta de Hélder Lopes sobre Jackson Martínez mas ficou a dúvida se dentro ou fora da grande área.
Já o 3 x 0, aos 44 minutos, é uma autêntica obra de arte. Se é verdade que o internacional Português beneficiou do facto de não estar a ser marcado, o extremo fez por beneficiar disso de um modo artístico. Bem ao seu estilo, Quaresma executou um remate de trivela à entrada da área, que só parou no fundo da baliza de Rafael Defendi. Um golo digno de ser visto e revisto e que praticamente sentenciou o jogo, mas não o resultado.
Mal as equipas regressaram do intervalo, o FC Porto tratou de dar contornos de goleada ao marcador. À entrada para o minuto 47, num lance em que os atacantes dos Azuis e Brancos beneficiaram de um mau passe de Rodrigo Galo, Héctor Herrera apareceu sozinho na cara do guarda-redes e só teve que desviar a bola após assistência de Jackson Martínez.
Só aos 48 minutos e com o resultado em 4 x 0 é que o Paços de Ferreira conseguiu pela primeira vez mostrar algo de carácter ofensivo. Um remate de fora da área de Seri que só foi parado pela barra da baliza de Fabiano, guarda-redes que foi praticamente um mero espectador durante os 90 minutos e que ainda viu Cristian Tello, de livre directo, a aumentar a diferença para 5 x 0, a sete minutos dos 90. 

Retirado de zerozero 

Melhor em Campo: Ricardo Quaresma

2 comentários:

AZUL DRAGÃO disse...

Pedro :

De goleada !



Abraço

Pedro Silva disse...

E que venham mais já agora!

Aquele abraço!!!