quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Tinha de correr mal (II)

imagem retirada de zerozero
Resumo o meu comentário a este triste jogo a dois únicos pontos:

- Nuno Espírito Santo (NES) disse n o treino aberto do passado domingo - salvo erro - que há que lutar contra tudo e contra todos (penso ter sido mais ou menos isto aquilo que NES disse), mas quem aposta em Héctor Herrera e em André André num jogo onde só a vitória poderia não bastar para se passar à fase seguinte da dita prova denominada de “Taça da Liga” é pouco. Manifestamente pouco. Para mais isto de se andar uma primeira parte a passar a bola para trás e para os lados a um ritmo lento (a roçar o lentíssimo) na vã esperança de que Yacine Brahimi tivesse uma jogada de génio que resolvesse a contenda a favor do Futebol Clube do Porto é caricato (para não dizer ridículo) pois bastaria um lance de desconcentração da parte dos azuis e brancos para que o ultra defensivo Moreirense marcasse o seu golo. Golo que acabou por ser o da vitória da equipa cônega.

- Começa a ser demais a quantidade de jogos em que o Futebol Clube do Porto é prejudicado por chicos-espertos que tem o condão de poder apitar uma partida de futebol. Não terá sido somente (repito: não terá sido somente) por causa da cegueira selectiva de Luís Godinho e seus pares que os Dragões perderam em Moreira de Cônegos, mas há que ser justo e dizer que o amigo Luís fez aquele jeitinho aos comandados de Augusto Inácio que estiveram sempre mais interessados em fazer o impossível para que não se jogasse futebol. Como se não bastasse Luís amigalhaço Godinho teve ainda a ideia peregrina de expulsar Danilo Pereira. 2016 terminou com o cartão amarelo mais estapafúrdio de sempre. 2017 começa com o cartão vermelho mais estapafúrdio de sempre.

Agora que cada um retire as suas conclusões. Eu continuo a defender que a prestação do FC Porto nesta tal de “Taça” não interessa para nada, mas era escusado ter-se aumentado a pressão a que os azuis e brancos vão ser submetidos em Paços de Ferreira. Para além de que era sempre importante manter e melhorar a sempre importante “dinâmica de vitória”. 

MVP (Most Valuable Player): Alex Telles. O defesa lateral esquerdo do FC Porto acabou por ser o menos mau da equipa portista. Alex esteve sempre bem a defender e a atacar e foi dos poucos (juntamente com Maxi) que procurou lutar contra o rumo dos acontecimentos. 

Chave do Jogo: Surgiu no minuto 49´, altura em que Francisco Geraldes marca o único e decisivo golo da partida. A partir daí a equipa do Moreirense limitou-se a “levar a água ao seu moinho” gerindo tempo e esforço diante de uma equipa portista que (por culpa própria e do amigo Luís) nunca se encontrou. 

Arbitragem: Luís Godinho e a sua equipa de arbitragem foram hoje tudo aquilo que uma equipa de arbitragem não pode ser em campo. Ficaram duas grandes penalidades por marcar a favor do Futebol Clube do Porto e ainda se está para se perceber a expulsão de Danilo Pereira. Para além disto pactuou com o anti jogo do Moreirense FC. Apesar de tudo ajuizou bem o lance que ditou a expulsão de Yacine Brahimi do FC Porto. Má arbitragem com influência directa no resultado final (mais uma). 

Positivo: Inexistente. 

Negativo: A apatia portista. É verdade que as arbitragens têm sido habilidosas e que há que “lutar contra tudo e contra todos”, mas cabe ao FC Porto mostrar em campo aquilo que diz aos seus adeptos. Coisa que hoje não fez (obviamente).

Artigo publicado no blog o gato no telhado (03/01/2017)

3 comentários:

Artur disse...

Vergonha: vamos tomar uma atitude. Assinem a nossa petição http://peticaopublica.com/?pi=PT84097

vmartins45 disse...

Ladroagens á parte, a grande verdade é que o meu Porto começou 2017 da mesma forma que acabou 2016, a não jogar nada de nada. A maioria dos jogadores arrasta-se em campo e isso depois de férias. Herrera já demonstrou á saciedade que é um jogador lento, lentinho e parado, André André deixou de saber jogar já à muito tempo, Depoitre é muito lento para jogar tão longe da área, Boyle é muito fraco, Corona continua muito inconstante. Nuno demonstrou mais uma vez que é um treinador muito fraco, pois só um grande nabo fica em último com 2 pontos ( dois empates em casa com o Belenenses e Feirense) num grupo com os #colossos# Moreirense, Feirense e Belenenses. Mau, muito mau para ser verdade.

KOSTA DE ALHABAITE disse...

DRAGÕES: não adormeçam sob o canto das sereias...

Desde a jornada 1 que andamos a ver erros grosseiros dos árbitros. SEMPRE em prejuízo do FC Porto. SEMPRE!
De súbito começamos a duvidar da equipa, do treinador, do Presidente, de todos desconfiamos.
"Eles", o povo, o sistema encornado, pensou e acreditou que realmente a equipa do FC Porto também seria fraca. E durante 2 jogos, foram quase honestos. Aí o FC Porto venceu e até goleou.
Soaram de novo as sirenes: afinal aquela equipa do FC Porto até é melhor que o "pintam". E voltaram os roubos. Em catadupa!
O que aconteceu ontem foi a gota de água. Toda a Europa, todo o Mundo se ri.
Eu não me rio! Pelo contrário! Estou com o ódio à flor da pele. Como Cristão deveria dar a outra face, mas estou cansado de esperar pela recompensa noutra vida. Como Nacionalista Nortenho quero sangue a correr debaixo das pontes.
Já tentaram noutra ocasião aniquilar o FC Porto. Falharam. Agora tentam-no via árbitros, correndo-nos de todas as competições.
Continuam a querer aniquilar-nos.
Assistimos à impunidade do clube encornado.
Sim são eles que estão por detrás da arbitragem. Basta ver quem são os vermes que estão no comando da arbitragem e o seu passado como árbitros!
Ficam impunes ao tráfico de droga que um seu alto dirigente comandava dentro do próprio estádio.
Ficam impunes ao tráfico de influências via "ofertas" aos árbitros. Primeiro negaram, depois eram só uns almoços, depois 160 euros e mais recentemente pela boca do seu "pneumático" presidente seriam já 500 ("alguém se deixa corromper por 500 euros? - disse ele recentemente)
Ficam impunes perante o facto provado que a sua fundação promover cursos de árbitros!!!!
Beneficiam de um "manto protector" de toda imprensa totalmente vergada ao seu emblema, deturpando e escondendo os podres e destacando apenas os seus (parcos e internos) sucessos, mesmo aqueles que são construídos sobre a falsidade
Não dá: quero sangue dos inimigos, quero os responsáveis punidos. E se não for a justiça dos organismos, que seja a justiça dos Homens do Porto, que como todos sabem são do mais nobre e leal que este país tem.