domingo, 30 de setembro de 2012

Quase que se perdia o comboio

O FC Porto empatou a duas bolas com o Rio Ave em Vila do Conde. Os portistas estiveram na frente, não "mataram" a partida e permitiram a reviravolta. Jackson evitou a derrota.
O FC Porto entrou em campo com o equipamento alternativo mas o pensamento de sempre: vencer. Só os três pontos interessavam para manter a liderança isolada do Campeonato, depois da vitória do Benfica em Paços de Ferreira (1 x 2).
Vítor Pereira manteve a aposta em Defour na posição 6, James voltou às alas, depois de ter actuado como organizador de jogo na última partida, e Lucho foi o Comandante das tropas. Atsu, que na última época jogou por empréstimo em Vila do Conde, também foi aposta inicial do Treinador Portista.
Os Dragões começaram a tomar conta das incidências da partida desde o seu começo, mas a primeira grande oportunidade pertenceu aos da casa. Aos 15 minutos, Braga meteu para a entrada de João Tomás que, já na área, cabeceou para a baliza Portista. Helton, que estava atento, amarrou com segurança a bola.
As equipas iam equilibrando a partida, com várias jogadas de perigo em ambas as balizas. No entanto, quando James pegava na bola os sustos eram maiores no sector defensivo de Vila do Conde, como por exemplo ao minuto 32, após um grande lance individual de El Bandido.
Um minuto depois chegaria o golo Portista, na sequência do livre. Oblak ainda fez uma grande defesa ao remate de James, mas na recarga, Miguel Lopes, completamente sozinho, cabeceou para o fundo das redes do Esloveno. Estava feito o 0 x 1.
Até ao intervalo, o FC Porto mostrou-se confortável no jogo, não acelerando muito o ritmo e gerindo a posse de bola.
Na etapa complementar, o Rio Ave entrou agressivo e podia ter chegado empate em duas ocasiões por Tarantini, ele que viria a ser a figura da partida.  Aos 51', o médio rematou - sem preparação - ligeiramente ao lado da baliza de Helton. Dois minutos depois chegou atrasado para o desvio de um remate de Edimar.
Com o resultado perigoso, Vítor Pereira não sossegava no banco e ia pedindo mais aos seus jogadores. Sem perder tempo, o Técnico Portista lançou Varela e Fernando. A entrada do Brasileiro, sobretudo ele, fez baixar o ritmo de jogo e mostrou um FC Porto a saber gerir melhor os momentos de jogo. No entanto, sentia-se que Fernando (só ele) não chegava para travar a crescimento do Rio Ave.
Dai que os Vilacondenses fossem tão perigosos e a imagem era fácil de descrever: o FC Porto não conseguia ter quem construísse, porque James procurava mais romper com espaço e o Rio Ave (com as suas linhas mais subidas) ameaçava.
Com tanta dificuldade, os Azuis e Brancos foram apanhados em contrapé e, sem alguém para "matar" a partida, sofreram o golo do empate, aos 79'. Tarantini, o que havia ameaçado no início, ganhou na raça, teve espaço na área Portista e atirou a bola por baixo do corpo de Helton. Empate no Estádio dos Arcos!
E seria outra vez o Rio Ave, e de novo Tarantini, a soltar a festa em Vila do Conde. Aos 86 minutos, o médio Português fez um dos golos da jornada. Dominou de peito à entrada da área e de primeira disparou uma "bomba" que deixou Helton preso ao relvado, sem capacidade de reacção! O Rio Ave virava o resultado para 2 x 1.
Antes do final, o FC Porto chegou ao empate por Jackson, depois de um grande lance de Miguel Lopes na direita. O lateral foi à linha de fundo e cruzou para Jackson Martínez cabecear para o empate Portista.
Ainda assim, os Bicampeões cedem o segundo empate e deixam o Benfica colar na liderança da tabela com 11 pontos.
 
Retirado de zerozero

Melhor em Campo: Otamendi

2 comentários:

Rui Anjos (Dragaopentacampeao) disse...

Que jogo paupérrimo! Parecia a brigada do reumático! Estava convencido que estes jogadores tinham já interiorizado a responsabilidade de envergar este equipamento. Enganei-me!

Não se deram conta ainda das verdadeiras dificuldades que os adeptos têm de ultrapassar para os acompanharem? Oferecem-nos em troca espectáculos deploráveis quanto este?

Sinto-me defraudado e indignado.

Agora, só uma vitória frente ao PSG poderá servir para atenuar a minha fúria. Por isso, não falhem.

Um abraço

The Blue One disse...

A mim está-me a preocupar muito mais a "ressaca" de alguns Adeptos do FC Porto do que aquilo que o Dragão fez neste jogo.

È um facto que a Equipa não soube acabar com o jogo e a culpa é somente dos Jogadores. Qualquer cego viu isto. Até o Vítor Pereira viu isto e este costuma ver jogos que mais ninguém vê.

Mas há para aí muita gente que quer a cabeça do Treinador e o regresso do triste Rolando.

Haja paciência para aturar tanta choradeira com o FC Porto a liderar o Campeonato Nacional!