quinta-feira, 21 de agosto de 2014

A meio do caminho

Num estádio que mais parecia um gigante pavilhão, uma vez que a cobertura estava fechada por indicações da UEFA, o FC Porto começou a encaminhar a sua passagem para a fase de grupos da Liga dos Campeões. Um golo de Herrera dá vantagem aos Portistas na eliminatória. Terça-feira há mais, no Dragão, que se vestirá, por certo, "à grande e à Portuguesa"!
 
Casemiro foi titular no FC Porto, tal como Rúben Neves. Ricardo Quaresma começou o jogo no banco de suplentes, enquanto que Juan Quintero e José Ángel, novidades na convocatória, acabaram por ficar de fora da ficha de jogo.
 
A baliza Azul e Branca foi ocupada por Fabiano Freitas que teve à sua frente um quarteto defensivo com Danilo na direira, Alex Sandro na esquerda e uma dupla de centrais formada por Bruno Martins Indi e Maicon.
 
No miolo, Rúben Neves - que se tornou no futebolista mais novo dos Dragões a jogar nas competições europeias. Com 17 anos, 5 meses e 7 dias, o médio destronou Fernando Gomes, que era até hoje o jogador mais novo a actuar nas provas do Velho Continente. O jovem médio teve a companhia de Casemiro e Herrera no meio-campo.
 
O ataque, esse, teve Brahimi e Óliver Torres no apoio a Jackson Martínez, referência mais adiantada na equipa do Espanhol Julen Lopetegui.
 
Do lado do Lille, o técnico René Girard, deixou o Português Rony Lopes no banco e lançou para a titularidade nomes bem conhecidos como Enyema, Kjaer, Mavuba, Kalou e Origi.
 
Nos primeiros minutos, ambas as equipas foram proporcionando um duelo muito dividido e quase sem remates à baliza. As equipas jogavam muito na expectativa.
 
Com Rúben Neves, quase sempre ele, em destaque na equipa, o FC Porto foi tentando chegar ao golo. O médio formado nos Azuis e Brancos foi tentando conduzir jogo para o ataque. À passagem da meia-hora, por exemplo, Jackson por pouco não chegava ao golo. O Colombiano ficou a queixar-se de penálti e pareceu mesmo ter sido agarrado na área, depois de uma jogada de Rúben Neves.
 
O Lille apenas respondeu perto do final, aos 45', com Corchia, por duas vezes, quase a marcar. Primeiro, o jogador do Lille atirou contra um defesa Portista e, depois, na cara de Fabiano, rematou por cima da trave.
 
O FC Porto dominou todo o encontro, mas foi o Lille a jogar no erro do adversário que esteve mais próximo de chegar à vantagem. Os Gauleses ofereceram a iniciativa de jogo aos Dragões que não conseguiram traduzir em golos as poucas oportunidades criadas.
 
Perante um adversário que está ao alcance dos Azuis e Brancos, Lopetegui sabia que era importante a sua equipa marcar. É que os Gauleses, sempre a tentar aproveitar bem os erros contrários, podiam causar estragos na partida e, pois claro, na eliminatória.
 
Numa fase do jogo em que Lopetegui já tinha em campo Tello, que entrou para o lugar de Brahimi, o FC Porto adiantou-se no marcador, por Héctor Herrera.
 
Aos 61 minutos, Tello combinou com Rúben Neves, o médio contemporizou, assistiu novamente Tello que cruza à linha para Jackson Martinez cabeceia para defesa apertada de Enyeama. Mas Héctor Herrera, oportuno, apareceu para encostar para o fundo das redes.
 
Héctor Herrera fazia aqui o seu primeiro golo numa competição europeia com a camisola do FC Porto ao cabo de um total de nove jogos.
 
A vencer, o FC Porto controlava o jogo, mas era o Lille que pressionava os Dragões na tentativa de chegar ao empate e esteve perto, aos 76 minutos. Sébastien Corchia bateu um livre difícil para Fabiano que esperou até ao último momento por um toque, não segurou à primeira e o perigo passou para o FC Porto.
 
Até final, a equipa do Lille ainda tentou o empate mas os Portistas seguraram a vantagem e agora vão tentar, no Dragão, carimbar o passaporte para a fase de grupos da "grande montra".
 
Retirado de zerozero
 
Melhor em Campo: Rúben Neves

Sem comentários: