domingo, 30 de outubro de 2016

Venha mais um voucher sff!

Imagem retirada de zerozero

Efectivamente venha um voucher para João Pinheiro e sua equipa de arbitragem pelo excelente serviço prestado à nação benfiquista no Estádio do Bonfim!

Ao contrário do que os “pseudo” comentadores - sempre muito ávidos no elogio ao “encarnado” - sou da opinião de que o Futebol Clube do Porto fez o suficiente para vencer em Setúbal, mas um cavalheiro vestido de “encarnado” (coincidências…) não o deixou ao não ter assinalado três (3!) grandes penalidades a favor dos Dragões! E como se não bastasse, eis que João Pinheiro deixou que os sadinos jogassem o seu futebol violento sem a mais pequena advertência… Só para que se tenha uma ideia, somente ao minuto 42 vimos o cavalheiro do apito a exibir um cartão amarelo a um jogador do Setúbal (jogador este que vinha cometendo faltas atrás de faltas). Mas pronto, havia que criar uma “almofada” para o caso de as coisas correrem mal ao SL Benfica na próxima jornada. Adiante.

Entrando agora no jogo jogado – aquilo que mais me interessa – mantenho o que disse. O FC Porto não jogou mal. Já o Vitória FC não jogou absolutamente nada (pergunto-me o que faz uma equipa destas na divisão principal do nosso futebol). Então o que poderiam os Azuis e Brancos ter feito de melhor? Ter sido mais eficazes na altura de empurrar a “redondinha” para dentro da baliza sadina. Era escusada tanta finta na hora de rematar à baliza… Se bem que tal se compreende porque tanto André Silva como Diogo Jota tinham de fazer tudo sozinhos porque o meio campo portista estava bem lá atrás a fazer pressão sobre um qualquer adversário imaginário… Demorar 20 e poucos minutos para começar a pressionar o Setúbal à saída da sua grande área é obra!

Não percebo a razão pela qual Danilo Pereira tem de estar sempre tão recuado (quase em cima da dupla de centrais)… O moço até que tem técnica e uma boa visão de jogo, pelo que acho que este teria sido de uma utilidade tremenda a um Oliver Torres - em baixa de forma - que não teve ninguém a ajudar na tarefa de combater o super povoado meio campo setubalense… Sim, o Óliver estava sozinho porque Héctor Herrera não entrou em campo (como sempre). Ora não admira, portanto, que depois tenhamos um Futebol Clube do Porto a lateralizar o seu ataque durante quase toda a partida (com tudo o que de mau e bom isto possa ter).

Quanto às substituições - tendo em consideração a forma como tudo estava a decorrer - não creio que Nuno Espírito Santo tenha estado mal. Jogou as cartas que tinha do baralho que escolheu levar para esta partida e não creio que pudesse fazer outra coisa. Tenho lido e ouvido os “comentadores” a dizer que Nuno deveria ter apostado em Depoitre dado que a elevada estatura do belga iria permitir ao FC Porto recorrer ao “chuveirinho”. Ora bem, esta tal de “solução” já foi tentada em Tondela e ficou bem patente que o belga não serve para este tipo de jogo… Mais alguma ideia brilhante Srs. “comentadores”? Não? Bem me queria parecer. É que ainda ontem ouvi um comentador criticar Jorge Jesus porque não é com muitos avançados que se ganha um jogo. Coerências. 

Chave do Jogo: Inexistente. O Futebol Clube do Porto bem que teve várias oportunidades para sentenciar a partida (já o Vitória Futebol Clube não fez nada por isto), mas em momento algum o conseguiu fazer. Em suma; não houve lance algum que tivesse feito pender a vitória para qualquer um dos lados. 

Arbitragem: Negativa. Péssima a actuação de João Pinheiro e a sua equipa de arbitragem neste jogo. Tolerou até ao limite o antijogo dos vitorianos, permitiu que a equipa do Vitória fosse violenta q.b. e não assinalou três grandes penalidades a favor dos Dragões. 

Positivo: Iván Marcano. Quem diria que este Marcano é o mesmo que parecia uma “gelatina” nos tempos de Julen Lopetegui? Sempre muito bem posicionado e sem inventar na hora de fazer o corte. É isto que se exige a um central. Muito bem Marcano! 

Negativo: Óliver Torres. Não pelo golo escandalosamente falhado mas sim porque parece estar a atravessar um mau momento de forma. Uma troca causal por Rúben Neves não lhe faria mal nenhum.

Artigo publicado no Blog o gato no telhado

6 comentários:

Anónimo disse...

Oliver continua como sempre miserável, mas sempre com lugar cativo. NEStices

JOSE LIMA disse...

Concordo a 100% com a leitura de jogo do Pedro. Abraço

reine margot disse...

Para além daquele golo que não se falha, nem vi o Óliver tão negativo assim; vi foi um Layún que não acrescentou nada! E, é para aí o 3º jogo seguido ... Livres e cantos que foram uma desgraça, e nenhuma linha de passe lá na frente! ...

Anónimo disse...

O Oliver passa sempre pelos pingos da chuva, só que estar em campo e não estar é exactamente a mesma coisa.

Pedro Silva disse...

@ reine margot

A actuação de Layún foi má e eu reparei nela. Só que não achei que valeria a pena falar nisto porque eu já venho dizendo há quase duas temporadas que o FC Porto tem de saber aproveitar os lances de bola parada (coisa que não faz). Parece que ninguém vê o óbvio…

Para mais no sistema de jogo de NES Layún acaba por “encaixar” melhor do que Maxi.

@ Lima

Obrigado e aquele abraço!!!

@anónimo

Esta sua fixação para com o Oliver já começa a parecer cisma…

Vidente Mor disse...

melhor em campo casillas pela vontade de vencer e nao fez uma defesa. O setubal ate 15, 20 minutos do fim permitiu nos ganhar por 3 ou 4, agora os nossos craquesinhos tem por vezes laivis de bailrinas, muia suplesse, muita tecnica, muita cerimonia. As substituiçoes naquela altura com o jogo fechado foram completamente desastradas, o oliver com simeone nem pro banco mas a nos da nos algum jeito quando saiu o pontape para a frente foi muito maior, nao rematamos de longe a baliza, layun e uma anedota de def lateral direito, fizemos montes de cruzamentosm desta vez mas para quem rematar de cabeça? de bhraimi e corona so um deveria ter entrado e nao os dois. FALTA VELOCIDADE E EQUIPA DO PORTO MAS DE ALGUNS ANOS A ESTA PARTE, ASILVA PERDE SE A ANDAR POR FORA DA AREA AS FINTINHAS, O TREINADOR E UM TIPO DE MEIO DA TABELA. O somos porto nao interessa a jogadores que por ca estao 1 ou 2 anos, nao entra, falta garra e maxi e fundamental para isso. Jogador mexicano que se preze nao consegue fazer dois jogos intensos seguidos, os nossos talvez consigam fazer 30 a 40 aminutos a serio, e racico nos mexicanos. ERA UM JOGO DECISIVO, IM PORTANTISSIMO MAS A MENSAGEM NAO PASSA OU NAO A FAZEM PASSAR, IMPRESSIOINANTE. A preocupaçao do presidente tem estado concentrada nas gajas ( tadito de quem precisa ) e no museu mas prai ha uns 5 anos a esta parte, ja nao consegue mudar nada e normalmente agora quando fala as coisas correm sempre mal a seguir, ao contrari de antigamente.