quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Os Milhões e o Prestigio já cá moram

O FC Porto mantém o prazer das vitórias e continua invicto na temporada. A vítima desta noite foi o Dinamo Zagreb que perdeu por 3 x 0, no palco Portista, em jogo da quinta jornada da Liga dos Campeões. Quanto entram em campo, os Portistas esperam, trabalham... marcam. 
O FC Porto corre, umas vezes mais rápido, outras lento. Depende do que o jogo exige. O FC Porto espera para ver o que o adversário tem para dar e aguenta. O FC Porto pauta o seu jogo e faz o adversário dolorosamente desesperar. Depois, dá a "estoca" decisiva. Os Dragões não mudam o "chip", afinal para quê mudar se tem dado resultado?
Esta noite, no adeus ao relvado do Dragão que vai ser substituido, o filme foi simples: o Dinamo Zagreb, à partida, não oferecia grandes obstáculos. Os Croatas, que até mandam no seu futebol interno, chegaram ao Porto sem qualquer ponto ou golo marcado. E assim ficaram.
De resto, o Dinamo Croata arrisca-se mesmo a deixar a Liga dos Campeões sem pontuar pelo segundo ano consecutivo.
Foi com estas evidências que o conjunto de Vítor Pereira entrou em campo. Ainda assim, os Croatas ameaçaram e até podiam ter saído na frente, aos 13 minutos; Remate cruzado do avançado Sammir e a bola a embater com violência no ferro direito da baliza de Helton.
Até ao final da primeira parte, e num jogo onde o Dinamo foi muito tenro, passivo e permissivo, o FC Porto podia ter ampliado a vantagem. James, Jackson e Varela tiveram oportunidades para isso.
Embora, diga-se em abono da verdade, que o Dinamo podia ter saído com "Vida" mas Varela, em cima da linha de golo, negou o empate aos Croatas; Vida cabeceou para uma boa defesa de Helton e, na recarga, Beqiraj viu a bola ser cortada por Varela.
No recomeço do jogo o FC Porto procurou intensificar a pressão e marcar o golo da tranquilidade, que apareceu aos 67 minutos por Moutinho. Numa altura em que já estava em campo o regressado Alex Sandro, Moutinho marcou de bola parada, naquele que foi o seu primeiro golo na prova, fazendo a bola passar por cima da barreira, sem hipótese para Kelava.
Com o segundo golo, o Dinamo caiu (ainda mais) por terra e o FC Porto continuou a gerir como bem entendeu, ficando a sensação de que a Liga dos Campeões é "muita areia para a camioneta" do Dinamo.
O que se seguiu foi apenas e só uma demonstração do Dragão. Sempre que os Azuis e Brancos aumentavam o ritmo... o Dinamo tremia. Foi aos aos 85 minutos, quando Varela fez o último golo; Belo passe de calcanhar de Moutinho, na cabeceira da área, desmarcando Varela que não teve grande dificuldade em bater Kelava.
Assim, o FC Porto vai somando, jogo após jogo, na certeza de que nada é mais inconcebível do que conceber. Como previsto, a luta pelo primeiro lugar com o Paris SG segue no Parque dos Princípes.
Destaque para Vítor Pereira que ultrapassou a marca de José Mourinho quando este foi Campeão Europeu pelo FC Porto em 2003/2004. O actual treinador do Real Madrid somou 11 pontos na Fase de Grupos da Champions e a marca foi igualada por Jesualdo Ferreira em duas ocasiões (2006/2007, 2007/2008) e ultrapassada pelo único treinador Tricampeão pelos Dragões em 2008/2009. Vítor Pereira já chegou aos 13 pontos.
Nota ainda para a estreia do jovem Halilovic, de 16 anos. Chamam-lhe o «novo Messi» e anda, por estes dias, nas bocas do Mundo. Para já, alinhou no Dragão, onde Messi apareceu pela primeira vez.

Retirado de zerozero

Melhor em Campo: João Moutinho

3 comentários:

ℙΣ₦₮∀ ➀➈➆➄℠ disse...

caríssimas(os),

mais um jogo (aparentemente fácil) e em que a Vida nos sorriu :D

obrigado! pela vossa visita e pelas vossas palavras!

somos Porto!, car@go!
«este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

saudações desportivas mas sempre pentacampeãs a todas(os) vós! ;)
Miguel | Tomo II

P. Ungaro disse...

Boas,

Antes de mais uma palavra de pesar para o comentador residente da Sporttv, Luis Freitas Lobo ... só 15 minutos da sua sapiencia saiu mais um comentário brilhante depois de uma bola ao Poste da baliza do FCP ... o Dinamo merecia o golo !!! lolllllllll ... mais uma excelente analise desse dinossauro dos comentarios.
Agora para as pessoas inteligentes, o Porto fez um jogo brilhante, primeiro pela pressão ofensiva e pelo querer dos jogadores, é este Porto que eu quero e que gosto a primeira parte foi mais calculista, mas no segundo tempo fomos para cima e estivemos muito bem.
Mais uma vez acho que o Danilo tem que render mais, quer com bola e fundamentalmente sem bola. Quando recebe não pode jogar para tras e quando não a tem, deve ser mais ofensivo ... o Mangala apesar de adaptado é muito mais interventivo apesar das suas limitação.
Resumindo e concluindo, mais uma vitoria, mais 1M€ para o saco, mais consolidação da equipa, por isso só posso estar contente.

Um abraço

http://fcportonoticias-dodragao.blogspot.pt

Rui Anjos (Dragaopentacampeao) disse...

Foi mais uma exibição de duas faces, com a mais feia jogada na primeira parte, onde o resultado foi até bastante lisonjeiro.

No segundo tempo a equipa evoluiu para níveis mais aceitáveis construindo um resultado confortável. Para tal contribuíram a maior intensidade de jogo, a maior velocidade, o maior empenho, o maior controlo e também a maior inspiração.

Defour enquanto esteve em campo foi o mais pendular. Moutinho, Lucho, Otamendi e James, apareceram a espaços, uns com mais influência que outros.

Um abraço