sábado, 6 de junho de 2015

Futebol Clube do Porto 2014/15 (III)

Voltando ao capítulo “Plantel de Luxo” para finalizar a minha análise aos reforços do Futebol Clube do Porto 2014/15 dado que me falta aqui falar do ataque. Nem este sector escapou às entradas dado que Hernâni, Cristian Tello, Adrián López e Aboubakar passaram a equipar de Azul e Branco. 
 
Ora, tendo em consideração o que estes fizeram ao longo da época sou da opinião de que Hernâni é uma boa aposta de futuro que tem vindo a crescer e mostrado que sabe aproveitar as oportunidades que lhe são dadas dado que o “miúdo” esforça-se e muito, 
Aboubakar é um ponta de lança “à moda antiga” que parece ter cedido um pouco à pressão quando as suas exibições chamaram a atenção pela positiva. O Camaronês está ainda longe de ser uma clara alternativa a Jackson Martinez, mas é um “diamante em bruto” que bem lapidado poderá dar muitas alegrias aos Portistas. 
Relativamente ao extremo Catalão Cristian Tello tenho de dizer que ainda tenho algumas dúvidas sobre o Atleta. Não que este não tenha sido útil em certos momentos cruciais da época anterior, contudo o Jogador passou mais tempo lesionado do que a jogar e nos primeiros tempos de Dragão ao peito o Atleta mostrou ter muita velocidade mas muitas dificuldades em retirar algum sentido prático da dita. Felizmente acabou por melhorar e muito este aspecto, fruto do trabalho específico de Julen Lopetegui, mas infelizmente as lesões graves voltaram e o Catalão acabou por ficar parado precisamente numa altura em que estava a melhorar (a falta que este fez em Munique) até ao final da época, o que não invalida que nãos e possa classificar Tello como um bom reforço.
Por último temos Ádrian López. Deixei o Espanhol propositadamente para último lugar da minha análise por uma razão muito simples: conhecimento do Jogador. Pouca gente sabe, mas sou um espectador atento do Campeonato Espanhol e acompanhei, mais ou menos de perto, o trabalho de Ádrian no Atlético Madrid e como tal estou perfeitamente à vontade para aqui dizer que não estamos, de forma alguma, perante um mau Jogador. 
 
O grande problema de Ádrian é a sua fraca capacidade em se adaptar a uma posição que não a sua. 
 
Muita gente opta por o criticar tendo em consideração o elevado preço do seu passe, contudo não creio que este seja o melhor caminho quando analisamos um Atleta. Isto porque existem Jogadores cujos passes tem um valor inflacionado que acabam por mostrar uma qualidade tal que justifica o preço absurdo do dito passe (veja-se o exemplo de Brahimi).
 
Quando Ádrian jogava em Madrid ocupava uma posição atrás do ponta de lança. Era uma espécie de segundo avançado que aproveitava os “rasgos” que o ponta de lança ia fazendo nas defesas adversárias marcando muitos e bons golos. Ádrian chegou a fazer uma “dupla mortal” com Falcao tendo inclusivamente marcado golos espectaculares na Liga Europa.
 
No Futebol Clube do Porto Ádrian não jogou atrás do ponta de lança. Nem o podia fazer dado que o 4x3x3 que Lopetegui tinha acabado de recuperar não o permitia. Restou ao Jogador encostar-se a uma das faixas e jogar como Extremo. E aí aconteceu aquilo que designamos na gíria popular como “a morte do artista” porque Ádrian López não se adaptou à sua nova posição (não fez muito por isto) e acusou a pressão do preço “inflacionado do seu passe” (entenda-se assobios dos adeptos e critica feroz). Depois surgiram as lesões graves que o afastaram por muito tempo dos relvados e acabou por se perder um investimento que, segundo o nosso amigo Jorge Vassalo, não se perdeu minimamente não obstante este não ter dado o devido e desejado retorno financeiro.
Ora tudo isto para concluir algo que eu já aqui tinha dito: o Plantel do Futebol Clube do Porto 2014/15 de luxo tinha pouco ou quase nada. Para mais Julen Lopetegui teve de melhorar muita coisa num Plantel que teve 17 entradas, sendo que a maioria delas sai do Dragão muito melhor do que quando entraram!

3 comentários:

Miguel Lima disse...

bom dia Pedro.
li, com muita atenção, o teu artigo de opinião, dividido em três partes, todas elas interessantes. houve pormenores que discordei, mas no principal estamos em sintonia: o plantel de luxo só existiu na mente de algumas luminárias do jornalixo tuga, interessadas em fazer passar a mensagem de que a pressão estaria sempre do nosso lado. como muitos de nós o temos vindo a demonstrar, enquanto bloggers indefectíveis, tal não passou de uma gloriosa falácia. foi só mais uma, num campeonato pleno de um imenso #colinho, o qual foi sempre sonegado (precisamente pelas mesmas luminárias atrás referidas).
note-se que não estou a justificar a perda do campeonato exclusivamente com o #colinho, pois que tivemos muita culpa em termos sido incompetentes em alguns momentos-chave do campeonato; apenas estou a constatar um facto.

abr@ço
Miguel Lima | Tomo III

TRSM86 disse...

o que é isso plantel de luxo?Avalia-se pelo preço, pela idade ou pelo nome? Já vejo o Porto desde 1973 e não me lembro de tal nome

cumprs,

Pedro Silva disse...

@ Miguel Lima

Grato pela visita e pelo excelente comentário!

Estes textos são resultado de um trabalho que quero ir desenvolvendo até finais do mês de Junho. Ainda há muito para dizer pelo que espero poder contar coma a tua atenção nos próximos artigos!

@ TRSM86

Esta é uma pergunta que deverá colocar aos Portistas que utilizam tal termo para insultar Julen Lopetegui de todas as maneiras e feitios e ´nossa "mui querida" Imprensa Generalista e Desportiva que se fartou de vender esta maldita ideia.

Abraço/cumprimentos a ambos!